Após processo de Conib e SIC, Ciro Gomes pede desculpa por declaração antissemita

Em declarações divulgadas nas redes sociais, após encontro com integrantes da comunidade judaica fluminense, o ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT-CE) se desculpou pelos “mal entendidos” com a comunidade judaica, após ter associado judeus à corrupção em abril deste ano.

As declarações de Ciro fizeram com que a Confederação Israelita do Brasil (Conib) e a Sociedade Israelita do Ceará (SIC) movessem um processo judicial contra o pedetista por antissemitismo.

O presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib), Fernando Lottenberg, disse que a nova manifestação do ex-ministro representa “um gesto importante de reconhecimento de seu erro” e que vai reavaliar a ação judicial que foi movida contra ele junto com a Sociedade Israelita do Ceará, onde Ciro reside.

“A declaração de Ciro Gomes é um gesto importante de reconhecimento de seu erro e da necessidade de combater o antissemitismo. Diante disso, a Conib vai reavaliar a ação judicial que abriu junto com a Sociedade Israelita do Ceará (SIC). É preciso tomar muito cuidado com as palavras sempre, mais ainda nesses tempos de estímulo à intolerância e ao ódio contra judeus e outros grupos”, afirmou Lottenberg em nota (veja matéria em O Estado de S.Paulo).

Em abril, a Conib e a SIC estiveram na Procuradoria Geral da Justiça, onde entraram com Representação Criminal contra Ciro Gomes por suas declarações (veja matéria), além de um pedido de explicações, no Fórum Criminal.

Ciro havia feito as acusações em entrevista ao site HuffPost Brasil, publicada no dia 20 de abril, na qual criticou a relação do presidente Jair Bolsonaro com “grupos de interesse” que o apoiam. “Por exemplo, para os amigos dele aí, esses corruptos da comunidade judaica, que acham que, porque são da comunidade judaica, têm direito de ser corrupto. Corrupto, para mim, não interessa se é curdo ou cearense. Corrupto é corrupto, ladrão é ladrão”, disse na ocasião.

Agora, mais de quatro meses após o episódio, Ciro voltou a tocar no assunto publicamente e disse lamentar se ofendeu alguém com a declaração. “Lamento mal entendidos que possam ter havido, produtos de desonestidade jornalística ou de eventual mau emprego da língua portuguesa. Sei também que generalizações podem eventualmente levar a injustiças. Lamento se tiver ofendido alguém. Judeus podem contar comigo na luta contra o antissemitismo”, escreveu em sua página no Facebook.