Boicote a Israel é ‘covarde e vergonhoso’, diz Nick Cave

O cantor e compositor britânico Nick Cave considerou “covarde e vergonhoso” o boicote cultural a Israel, proposto por organizações pró-palestinos, e disse que continuará se apresentando no país. Cave disse que o boicote é “em parte a razão pela qual estou me apresentando em Israel: para enfrentar aqueles que envergonham e tentam silenciar os músicos”. O cantor, que fez show em Tel Aviv, em novembro de 2017 com sua banda – The Bad Seeds -, foi criticado por artistas que defendem o boicote.

Cave se recusou a assinar um manifesto de artistas proposto, entre outros, pelo músico britânico Brian Eno. “Eu não apoio o atual governo em Israel, mas também não apoio esse movimento para impedir que músicos se apresentem no país”. Cave disse que essa sua posição não significa que não apoie os palestinos. “Defendo uma solução justa (para o conflito israelo-palestino) através da vontade política de ambas as partes”, destacou, ao lembrar que já arrecadou £ 150.000 para a uma fundação pró-palestinos. A posição de Cave é compartilhada por Thom Yorke, do Radiohead, que defende a apresentação de artistas em Israel e afirma que “se apresentar em um país não significa endossar seu governo” (The Guardian).