Brasil celebra Dia em Memória às Vítimas do Holocausto; Evento no Rio lembra os 75 anos do desembarque das tropas brasileiras na Itália

O Dia em Memória às Vítimas do Holocausto foi lembrado ontem com diversas solenidades no país. No Rio de Janeiro, a solenidade aconteceu no Monumento Nacional aos Mortos da 2ª Guerra Mundial, no Aterro do Flamengo, e uniu também a celebração pelos 75 anos do desembarque da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na Itália. O evento que lotou o auditório montado no local, foi promovido pela Confederação Israelita do Brasil (Conib) e pela Federação Israelita do Estado do Rio de Janeiro (Fierj), com o apoio da Administração do Monumento, da Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, Museu Histórico do Exército (Forte Copacabana), Comando Militar do Leste, 1º. Distrito Naval e Comando da Aeronáutica.

Estiveram presentes o governador do Rio, Wilson Witzel, o prefeito Marcello Crivella, líderes comunitários e religiosos, políticos como o Senador Arolde Oliveira, o Deputado Federal Marcelo Calero e a vereadora Teresa Berger (RJ), diplomatas como o Embaixador da Federação Russa, Sergey Akopov, o cônsul do Japão, Ken Kendo, a encarregada de negócios da Embaixada da República da Polônia, Marta Olkowska, e os cônsules honorários de Israel e da República Tcheca no Rio, Osias Wurman e Alfredo Sobotka, militares do Exército e da Marinha do Brasil, além de sobreviventes do Holocausto.

“Lembramos das vítimas do Holocausto – que não podem estar aqui conosco – dos sobreviventes e dos nossos combatentes, os pracinhas brasileiros. Dos 19 países do mundo que enviaram soldados à guerra, o Brasil é o único latinoamericano, o que é motivo de grande orgulho para nós. Estamos aqui, hoje, chorando por aqueles que se foram e comemorando os que sobreviveram e reconstruíram suas vidas no Brasil”, disse o presidente da Conib, Fernando Lottenberg.

O presidente da Fierj, Arnon Velmovitsky, frisou a importância da educação como caminho para manter viva a memória do Holocausto: “O nazismo atacou pessoas de diversos matizes. Para nós, o mais importante é a questão do ensino, para mostrar ao mundo que o Holocausto não pode se repetir”.

A cerimônia contou com momentos repletos de emoção, como a entrada dos estandartes das unidades terrestres, navais e aéreas brasileiras que participaram da 2ª Guerra Mundial; a reprodução do áudio de uma mensagem gravada pelo presidente Jair Bolsonaro que, já internado no Hospital Albert Einstein, lamentou não poder comparecer; a entrega da Plaqueta General Moyses Chahon, Heroi da FEB, aos ex-combatentes e autoridades presentes. Seis velas foram acesas por representantes das comunidades que pereceram no Holocausto, vítimas das atrocidades nazistas. Ao final, flores foram dispostas sobre os túmulos de Soldados Desconhecidos, e uma coroa foi depositada pelo governador Wilson Witzel, pelo prefeito Crivella, pelo presidente da Conib, Fernando Lottenberg, pelo presidente da Fierj, Arnon Velmovitsky, pelo Almirante de Esquadra Leonardo Puntel e pelo Coronel Amerino Raposo, ex-combatente mais antigo. Uma segunda coroa foi depositada pelo Embaixador da Federação Russa, Sergey Akopov e pelo sobrevivente do Cerco de Leningrado, Eduard Ishakewitz. Também foi feita uma homenagem ao Cônsul Chiune Sugihara, Justo entre as Nações. O Cônsul Ken Kendo agradeceu em nome do Japão.

Em seu discurso, o governador Wilson Witzel falou de sua visita a Israel: “Estive no Museu do Holocausto e fiquei profundamente emocionado. Pedi desculpas pelo mundo ter virado as costas ao povo judeu”, disse. “Que essa barbárie nunca mais se repita. Que nenhum povo tenha que passar pelas atrocidades por que passou o povo judeu”.

O prefeito Marcelo Crivella frisou que o Rio é uma cidade acolhedora: “O Rio de Janeiro, com sua tradição de solidariedade e amor ao próximo, é uma cidade preocupada para que a memória às vítimas do Holocausto nunca se apague. Enquanto eu for prefeito dessa cidade, jamais deixaremos apagar no coração do nosso povo a lembrança do sofrimento e da tragédia do povo judeu”, afirmou.

Arolde de Oliveira, Wilson Witzel, Arnon Velmovitsky, Marcelo Crivella e Fernando Lottenberg

Fernando Lottenberg, Wilson Witzel e Arnon Velmovitsky Fotos: D’Nigris-by Ricardo Nigri

Prefeito do Rio, Marcelo Crivella

Cerimônia com os estandartes dispostos

Entrada dos estandartes no início da cerimônia