26 de Maio de 2017 English Español עברית

Conib Logo

Calendário Judaico

Terça, 30 de Maio - Shavuot (véspera)
Festa que marca a entrega dos Dez Mandamentos (Torá) por D’us a Moisés e ao povo de Israel ainda no deserto do Sinai, após a saída da escravidão no Egito. De acordo com a tradição judaica, a outorga das leis sagradas aconteceu no ano de 2448 no calendário hebraico, ou por volta do ano 1300 A.E.C. (antes da Era Comum).Em hebraico, Shavuot significa “semanas” e remete à contagem das sete semanas que separam o Êxodo do Egito da entrega dos Dez Mandamentos. Em Pessach (Páscoa), os judeus saíram da escravidão e em Shavuot receberam seu código de leis. A festa de Shavuot também é conhecida por outros dois nomes: Hag Habikurim (Festa dos Primeiros Frutos) e Hag Hakatzir (Festa da Colheita). Esses nomes remontam ao período em que o Templo de Jerusalém ainda existia. Na época de Shavuot, os agricultores levavam ao Templo Sagrado uma oferenda do primeiro trigo, cevada, uvas, figos, romãs, azeitonas e tâmaras que cresciam no campo, como forma de agradecimento a D’us. Era também nessa época do ano que o trigo, o último dos grãos a ficar pronto para ser cortado, era colhido. Por isso, juntamente com Pessach e Sucot, a festa de Shavuot era um dos três grandes períodos de peregrinação ao Templo de Jerusalém (Shloshet ha Regalim).
Quarta, 24 de Maio - Dia de Jerusalém
Sábado, 13 de Maio - Lag BaOmer (véspera)
Lag BaOmer é o 33º dia dos 49 dias entre as festas de Pessach e Shavuot. Chamado de “Ômer”, este é um período de luto, em que os judeus lembram a morte de milhares de discípulos do Rabi Akiva. Rabi Akiva viveu no período da destruição do Templo, ano 69 E.C, quando os judeus eram perseguidos pelos romanos e proibidos de estudar a Torá. Mesmo com a proibição, Rabi Akiva estudava e ensinava os preceitos da religião a seus discípulos. Um conflito entre seus discípulos gerou uma peste que matou milhares de seus alunos, e apenas no 33º dia [Lag BaOmer] a morte cessou. Lag BaOmer é o único dia em que se quebra o luto do Ômer, celebra-se a vida e os ensinamentos de grandes sábios da história judaica: Rabi Akiva e Rabi Shimon bar Yochai. É costume dançar em volta da fogueira, jogar arco e flechas e comer ovos cozidos.
Terça, 02 de Maio - Iom Haatzmaut
Principal feriado nacional de Israel. Celebra a independência do país, marcada pelo fim do mandato britânico. É celebrado de acordo com o calendário judaico, no 5º dia do mês de Iyar. Pelo calendário gregoriano, a data da independência é 14 de maio de 1948. O principal costume dos israelenses no Iom Haatzmaut é reunir as famílias e os amigos e comemorar a data com churrascos (em hebraico, Al haesh) ou piqueniques. Também há festas nas grandes cidades, onde o povo se reúne para ouvir shows de música e dança. A cerimônia oficial acontece no Monte Herzl, em Jerusalém.
Segunda, 01 de Maio - Iom HaZikaron
Iom Hazikaron (Dia da Memória) Feriado nacional de Israel. A data é dedicada à lembrança de soldados mortos em guerras e operações do Exército, bem como de todas as pessoas que foram vítimas de ações terroristas. O feriado é observado no 4º dia do mês hebraico de Iyar, na véspera das comemorações de Iom Haatzmahut, o Dia da Independência de Israel. O feriado é repleto de cerimônias em recordação aos militares mortos, nas quais soldados veteranos de guerras estão presentes. Tradicionalmente, uma sirene de dois minutos soa por volta das 11 horas da manhã e marca a abertura das cerimônias. Ela toca em todo o país e em todos os cemiterios em que haja militares enterrados. O feriado termina com um ato no cemitério nacional de Monte Herzl, em Jerusalém, o maior de Israel, onde as bandeiras ficam a meio mastro. Logo após o encerramento da cerimônia, começam os festejos pela independência, o principal feriado nacional israelense.