Cervejaria lança edição especial em apoio a agricultores que sofreram perdas com balões incendiários lançados de Gaza

Os consumidores israelenses de cerveja que querem desfrutar de um prazer sem culpa agora podem beber em solidariedade aos agricultores do sul de Israel, que tiveram grande parte de suas plantações queimadas por balões incendiários lançados da Faixa de Gaza. A cervejaria artesanal Alexander Beer lançou recentemente uma edição especial da cerveja de trigo “Otef Aza” (Gaza Border), feita em parte com o trigo colhido em campos pertencentes a comunidades israelenses na fronteira com Gaza e que sobreviveram aos incêndios provocados por balões e outros dispositivos lançados pelo território vizinho.

“Eu cresci em uma família de agricultores no Kibbutz Misgav Am, no norte, e ver os campos queimarem me deixou muito triste. Decidi que tinha que fazer algo para ajudar. Não é uma declaração política. É uma questão de solidariedade”, disse o fundador e CEO da Alexander Beer, Ori Sagi, em recente entrevista na cervejaria na zona industrial de Emek Hefer, perto de Hadera. Todos os lucros das vendas da cerveja irão para os agricultores israelenses, disse ele.

Desde março de 2018, mais de mil acres de campos agrícolas – principalmente de trigo – na região próxima à fronteira de Gaza foram queimados. Isso se traduziu em pelo menos US$ 1,7 milhão em perdas para os agricultores israelenses. Além disso, milhares de hectares de florestas, bosques e reservas naturais foram destruídos.

Em um esforço para evitar perdas adicionais para os produtores de trigo, no final da primavera passada o governo israelense pediu que eles colhessem suas safras mais cedo. O governo ofereceu aos agricultores NIS 60 (US $ 17) por cada ‘dunam’ (quarto de acre) colhido. O Ministério da Agricultura anunciou na época que uma verba de NIS 2 milhões fora aprovada para os agricultores como compensação pelas perdas sofridas com os incêndios. Para alguns dos agricultores, isso foi apenas uma gota num balde dágua. Sagi reconhece que os lucros da cerveja “Otef Aza” também não serão suficientes para ressarcir os agricultores dos prejuízos. “É mais uma forma de solidariedade e para chamar a atenção para as dificuldades que enfrentam os agricultores dessa região”, disse Sagi (Renee Gharit-Zand, Times of Israel).