Confederação Israelita do Brasil se solidariza com Tinga e repudia o racismo. #FECHADOCOMOTINGA

Em jogo disputado esta semana pelo Cruzeiro contra o Real Garcilaso, do Peru, pela Taça Libertadores da América, o jogador Tinga foi alvo de manifestações racistas. Toda vez que recebia a bola, os torcedores da cidade de Huancayo imitavam o som de macacos.

Após a partida, Tinga declarou que preferia não ter conquistado nenhum título em sua carreira se pudesse viver sem o preconceito.

A Confederação Israelita do Brasil se solidariza com o craque e repudia esta e qualquer outra forma de racismo. A Conib tem uma relação próxima com a comunidade negra. Na solenidade do Dia Internacional do Holocausto em 2012, realizada em Salvador, foram também homenageados os negros vítimas da barbárie nazista.

Na cerimônia deste ano, realizada em 27 de janeiro, José Vicente, reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, acendeu uma das velas em memórias às vítimas.

A Conib está presente na SEPPIR – Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, desde a criação da Secretaria, em 2003. A comunidade judaica apoia esforços do Plano Nacional de Políticas da Igualdade Racial e participou do lançamento em São Paulo e Salvador do Plano Juventude Viva

Os judeus participam anualmente, no Rio de Janeiro, da Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, em parceria com a Comissão de Combate à Intolerância Religiosa.


Força, Tinga! Foto: Denilton Dias/VipComm.