Conib participa de seminário internacional sobre ciganos, na Universidade de São Paulo

A psicóloga e professora Sofia Débora Levy, representante da CONIB no Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial, participou do Seminário Internacional “História, Identidade e Memória dos Ciganos”, que aconteceu de 26 a 28 de novembro, na Universidade de São Paulo.  

Em seu trabalho no CNPIR – órgão de caráter consultivo, integrante da estrutura da SEPPIR – Secretaria de Promoção de Políticas da Igualdade Racial da Presidência da República – Sofia Levy tem buscado apoiar as reivindicações do povo cigano.

A convite da coordenadora do seminário, a professora Maria Luiza Tucci Carneiro, do LEER – Laboratório de Estudos sobre Etnicidade, Racismo e Discriminação da USP, ela compôs a mesa de abertura do evento.

Sofia abordou algumas das realizações da SEPPIR em 2013, como a Plenária dos Povos Ciganos; a elaboração do Guia de Políticas Públicas para Povos Ciganos; e a aprovação, na III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial, realizada recentemente em Brasília, de proposta para ampliar a valorização da cultura cigana na mídia. Ela citou algumas limitações relativas às peculiaridades dos ciganos que estão sendo tratadas pela SEPPIR, como registro e documentação; mapeamento sociogeográfico; conteúdo programático e materiais escolares específicos.

Com relação à temática do Holocausto, Sofia mencionou que muitas vezes, os judeus são injustamente acusados de falarem do Holocausto como se tivessem sido as únicas vítimas, e reiterou que nas cerimônias alusivas ao tema, a mensagem da comunidade judaica é inclusiva para com todos os grupos vitimados pelo nazifascismo – ciganos, negros, comunistas, testemunhas de Jeová, opositores políticos, e outros – e tem caráter universal no combate a toda forma de preconceito e discriminação.

Este Seminário, cuja realização a CONIB apoiou, é “mais um exemplo de que não atuamos apenas em causa própria, pois quanto mais formos capazes de defender uns aos outros, mais força teremos para combater a discriminação, e mais consistente será nosso discurso em prol da solidariedade entre os povos”, declarou Sofia.

Sobre a importância do evento na USP, ela afirmou: “Acredito que o Seminário e o LEER/USP possam contribuir para que a SEPPIR leve adiante os projetos voltados ao povo cigano, e para que a CONIB aprimore o trato institucional intercomunitário com os ciganos, e estes os seus laços para com os judeus”.


Sofia Levy, em primeiro plano, durante seminário na USP. Foto: Divulgação.


Apresentação de dança no seminário sobre os ciganos na USP. Foto: Divulgação.