Dois feridos em novo ataque terrorista em Jerusalém

Duas pessoas ficaram feridas – uma delas gravemente – em novo ataque à faca na Cidade Velha de Jerusalém na manhã desta sexta-feira. O autor do ataque foi morto por policiais após ferir gravemente um homem perto do Portão de Damasco e um adolescente perto da Sinagoga Hurva. “Por volta das 6:20 da manhã, o agressor entrou pelo Portão de Damasco, esfaqueou um homem e saiu correndo. No caminho, ele viu um garoto de 16 anos perto da sinagoga e o esfaqueou também”, disse a polícia.

O agressor, um palestino de 19 anos da Cisjordânia, foi morto a tiros por policiais no local, informou um porta-voz da polícia.

O ataque ocorre na última sexta-feira do mês sagrado muçulmano do Ramadã.

A polícia informou que a segurança foi reforçada na Cidade velha para evitar novos incidentes.

O homem atacado perto do Portão de Damasco ficou gravemente ferido no pescoço e na cabeça e foi levado em estado quase crítico para o hospital.

“Demos os primeiros atendimentos a um homem, na faixa dos 40 anos, ferido e que estava caído, quase inconsciente, nas escadas Perto do Portão de Damasco”. “Conseguimos fazer com que parasse o sangramento e ele foi rapidamente colocado em uma ambulância e levado ao hospital”, disse um médico da Magen David Adom.

Ele foi levado ao Centro Médico Shaare Zedek de Jerusalém. O hospital informou que ele estava inconsciente e ligado a um respirador.

A segunda vítima, Yisrael Meir Nachumberg, de 16 anos, foi esfaqueada nas costas dentro das muralhas da Cidade Velha. Ele correu para a Sinagoga Hurva, da Cidade Velha, onde recebeu assistência. O jovem sofreu ferimentos de leves a moderados e foi levado para o Hospital Hadassah Ein Kerem, disseram médicos. No hospital, Nachumberg disse a repórteres que estava andando de bicicleta pela Cidade Velha e parou para examinar a roda quando foi atacado pelas costas. “Eu pensei ter lavado um soco”, disse ele ao site de notícias Ynet. “Mas, em seguida, vi uma faca cheia de sangue caída no chão”.

O ataque terrorista mais recente em Jerusalém ocorreu em 7 de fevereiro, quando um palestino, Arafat Irfaiya, estuprou e matou Ori Ansbacher, de 19 anos. Em março, Irfaiya foi acusado de cometer os crimes no contexto de ato terrorista.