Escritor saudita: ”Islã precisa de uma revolução na educação”

 

Em entrevista recente à TV Sky News Arabia, o escritor saudita Turki Al-Hamad abordou como deve ser feito, dentro do Islã, o combate ao Estado Islâmico. Ele vive em Riad, capital saudita. Voz moderada do Islã, ele já foi preso por declarações sobre a religião, recebeu quatro fatwas [decretos religiosos] do clero do país e é considerado apóstata pela Al-Qaeda.

Veja a entrevista.

Leia abaixo alguns trechos:

“A deformação pela qual nossas sociedades passaram nas últimas três décadas requer um longo tempo para reparo, que deve ser baseado na reprogramação de nossa mentalidade cultural. Isso só pode ser atingido por meio de uma revolução real em nossa educação”.

“A revolução deve se dar por meio da humanização da religião. Nossa religião é o pilar de nossa cultura. E ela foi sequestrada por muitos, que a tornaram selvagem. (…) INFELIZMENTE, NÃO RECONHECEMOS QUE O ISIS APENAS COLHE O QUE PLANTAMOS”.

“Onde os muçulmanos têm liberdade? No Ocidente. Em países como Dinamarca e Inglaterra, os muçulmanos saem às ruas para protestar contra o governo ou em apoio a um Califado islâmico, e são protegidos pela polícia”.