Estudo do AJC mostra aumento da preocupação dos judeus com segurança

O AJC divulgou resultados de pesquisas feitas junto às comunidades judaicas dos Estados Unidos, Israel e França – as três maiores do mundo – sobre o que pensam os judeus sobre uma série de questões, como antissemitismo, o aumento dos discursos de ódio e as relações dos judeus da diáspora com Israel (Veja).

O estudo mostra que 72% dos judeus americanos e 53% dos judeus franceses acreditam que um Estado de Israel próspero é vital para o futuro a longo prazo do povo judeu.

As pesquisas mostraram um aumento da preocupação dos judeus americanos e franceses com relação a sua própria segurança. As pesquisas mostram também que há muito mais questões que aproximam as comunidades judaicas da diáspora do que as dividem (veja).

Cerca de 65% dos judeus americanos disseram que se sentem menos seguros do que há um ano. Da mesma forma, metade dos judeus franceses dizem que a situação na França em termos de segurança é pior do que um ano atrás.

A maioria dos judeus franceses (58%) já enfrentou situações de antissemitismo, e mais da metade (56%) afirma não acreditar que a França esteja efetivamente combatendo o crescente número de crimes de ódio.

Surpreendentemente, a maioria (55%) dos judeus franceses considerou emigrar do país no ano passado por várias razões. Cerca de um quinto (21%) disse que foi por razões econômicas, 17% por medo do futuro da comunidade judaica e outros 12% disseram estar preocupados com o futuro da França.

Para os americanos, a situação de antissemitismo nos campi universitários parece ser a mais preocupante. Cerca de 57% dos judeus dos EUA dizem que se tornou cada vez mais desconfortável para os estudantes a situação de antissemitismo nos campi universitários.

O estudo do AJC coincide com outros divulgados recentemente.

Pesquisa do Centro Kantor para o Estudo do Judaísmo Europeu Contemporâneo descobriu que os ataques violentos contra judeus e/ou alvos judeus em todo o mundo aumentaram em 13% em 2018. A maioria desses ataques violentos ocorreu nos Estados Unidos, com mais de 100 casos.

Na França, houve 35 casos de ataques violentos em 2018, segundo o relatório Kantor. Leia mais sobre a pesquisa nos sites do Jerusalem Post e Times of Israel.