Purim

Festa que comemora a salvação dos judeus do extermínio na Pérsia antiga, por volta de 450 A.E.C. (antes da Era Comum). É celebrada todos os anos no 14º dia de Adar do calendário judaico. O nome tem origem na palavra Pur, que significa sorteio. Pela tradição judaica, Haman, o conselheiro do rei Achashverosh (Assuero), convenceu o monarca persa da cidade de Sushan (Susa) a exterminar os judeus. Em um sorteio (Pur), ficou determinado que a matança começaria no dia 13 de Adar. O plano de extermínio foi abortado com a intervenção da mulher de Achasverosh, a rainha Esther e seu parente Mordechai (Mardoqueu), que até então mantinham em sigilo sua condição judaica. Desde então, a festa se realiza na data em que os judeus de Sushan venceram seus inimigos. Toda a passagem é narrada na Meguilat Esther (Livro de Esther), lida durante as celebrações.

Entre os costumes está o envio de alimentos aos amigos e parentes, como um símbolo de união e amizade entre o povo judeu. Também se estimula a doação de dinheiro e alimentos aos necessitados. O costume mais popular, principalmente entre as crianças, é o uso de fantasias. Essa tradição começou ainda na antiguidade e tem algumas explicações. Uma delas é que D’us realizou milagres de maneira disfarçada, ao não agir diretamente, mas por intermédio de pessoas que atuaram sob inspiração divina, como Esther e seu parente Mordechai. Para lembrar esses milagres disfarçados, que salvaram os judeus do perigoso Haman, costuma-se usar disfarces e fantasias.

Listagem completa