Hamas se infiltrou nas forças de segurança da AP e recrutou oficiais como espiões, diz jornal

Citando fontes palestinas, o jornal israelense Yedioth Ahronoth revelou que o Hamas se infiltrou nas forças de segurança da Autoridade Palestina (AP) e recrutou oficiais como espiões.

De acordo com a informação, o Hamas conseguiu recrutar membros das forças de segurança da Autoridade Palestina no ano passado e infiltrar oficiais em algumas unidades da AP que trabalham ao lado de Israel para impedir a atividade terrorista na Cisjordânia.

Os agentes de inteligência da Autoridade Palestina detectaram a presença de membros do Hamas em suas unidades, lançando uma operação secreta que levou à prisão, há alguns meses, de vários agentes de segurança que confessaram estar trabalhando para o grupo terrorista.

Os oficiais presos teriam admitido que transmitiram informações confidenciais aos líderes de Gaza sobre as operações de segurança da AP, inclusive contra as células do Hamas na Cisjordânia. Alguns foram instruídos a ‘plantar’ informações falsas para enganar as forças da AP.

O Hamas conseguiu se infiltrar em várias unidades, incluindo o Serviço de Segurança Preventiva, que trabalha com Israel para frustrar os ataques terroristas – o órgão é o equivalente ao serviço de segurança do Shin Bet em Israel -, na inteligência e na polícia palestina, entre outros organismos.

A AP teria conseguido impedir em grande parte a infiltração com a prisão de agentes suspeitos que admitiram estarem trabalhando a serviço do Hamas. O presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, acompanhou a investigação.

Mas há preocupações de que outros agentes de segurança palestinos, insatisfeitos com o atraso no pagamento de seus salários, poderiam facilmente ser atraídos para trabalhar para o Hamas.

O porta-voz das forças de segurança da Autoridade Palestina, Adnan Damiri, contestou as denúncias, afirmando que “apenas duas pessoas dos serviços de segurança foram presas há dois anos por suspeita de vazamento de informações para o Hamas”.

O Hamas e a AP estão em desacordo há anos e todas as tentativas de reconciliação entre as duas facções fracassaram.