Honduras reconhece Jerusalém como capital de Israel

O presidente hondurenho Juan Orlando Hernandez viajará a Israel nesta sexta-feira para inaugurar um “escritório diplomático” em Jerusalém, reconhecendo a cidade santa como capital de Israel.

O escritório diplomático da cidade será uma extensão da embaixada de Honduras em Tel Aviv.

“Para mim, é o reconhecimento de que Jerusalém é a capital de Israel”, disse Hernandez na terça-feira.

O Ministério das Relações Exteriores de Honduras disse em comunicado que Israel havia proposto que Honduras transferisse sua embaixada para Jerusalém, que está sendo “analisado e avaliado no contexto internacional e nacional”.

O presidente dos EUA, Donald Trump, reconheceu Jerusalém como capital de Israel no final de 2017 e mudou oficialmente a embaixada dos EUA para lá em maio passado, provocando uma deterioração das relações com os palestinos.

Guatemala e Paraguai seguiram o exemplo, enquanto o Brasil disse que estava estudando a possibilidade. O Paraguai reverteu sua decisão quatro meses depois, após uma mudança de governo.

Mover uma embaixada para Jerusalém é altamente controverso. Israel reivindica Jerusalém como sua capital, enquanto os palestinos veem Jerusalém Oriental como a capital de seu futuro estado.

A maioria das missões diplomáticas em Israel está situada em Tel Aviv ou nas proximidades, enquanto os países tentam manter uma posição neutra sobre o status de Jerusalém.

O anúncio hondurenho ocorre um dia depois que a esposa do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, Sara, anunciou em uma transmissão ao vivo em uma página do Facebook da campanha do Likud que Honduras abrirá uma instalação diplomática em Jerusalém na próxima semana e sugeriu que ela era responsável por fazer isso acontecer.

“Estou feliz em anunciar que no domingo Honduras estará abrindo uma missão diplomática em Jerusalém, um passo a caminho de uma embaixada”, disse ela em um vídeo ao vivo no Facebook, com a ministra da Cultura Miri Regev.

O Ministério das Relações Exteriores de Israel confirmou em uma declaração feita terça-feira que Honduras estabelecerá um escritório comercial com status diplomático e que Hernandez, acompanhado por sua esposa, chegará a Israel na noite de sábado para participar da cerimônia de abertura.

O escritório de comércio é um primeiro passo em direção à “futura mudança da embaixada de Honduras para Jerusalém”, afirmou o ministério.

Sara Netanyahu afirmou que o desenvolvimento do assunto ocorreu após sua viagem financiada pelo governo no ano passado à Guatemala, vizinha a Honduras. “Quando visitei a Guatemala, conversei com a [primeira-dama] Patricia Morales e seu marido, o presidente, pedi a eles que atuassem em relação a Honduras para que a embaixada fosse transferida para Jerusalém”, disse ela.

“Ali mesmo, [o presidente guatemalteco Jimmy Morales] chamou seu amigo presidente de Honduras, Juan Orlando Hernandez, e disse-lhe que estava sentado comigo no almoço e eu propus que ele mudasse a embaixada para Jerusalém.

E assim começou o diálogo entre os países que atingirá seu auge neste próximo domingo com a abertura de uma missão diplomática em Jerusalém”.

A Guatemala já transferiu sua embaixada para Jerusalém em maio de 2018, logo após os EUA terem transferido sua missão de Tel Aviv para a capital.

Ao contrário de países como EUA e Guatemala, Israel não tem primeira-dama e a esposa do primeiro-ministro não possui status especial.

Sara Netanyahu fez sua viagem diplomática à Guatemala no início de dezembro de 2018. Autoridades do Gabinete do Primeiro Ministro saudaram a visita – a primeira vez que a esposa de um primeiro ministro fez uma viagem oficial sozinha – como “histórica”, dizendo que cimentou ainda mais a robusta parceria bilateral entre Israel e Guatemala. Nenhum repórter foi convidado a participar da viagem.

Mais tarde, em dezembro, o Canal 12 informou que uma delegação de altos funcionários de Honduras visitou Israel, supostamente para explorar a possibilidade de transferir a embaixada para Jerusalém, depois de conversas secretas com o primeiro-ministro.

Segundo a reportagem, Honduras está exigindo que Israel abra uma embaixada em sua capital, Tegucigalpa, e intensifique o comércio bilateral em troca de realocar sua própria missão. Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores confirmou a visita da delegação, mas disse apenas que havia um “processo contínuo de discussões ainda por amadurecer”.

Os hondurenhos estão particularmente interessados em obter conselhos de especialistas israelenses em questões cibernéticas, combate ao crime, água e agricultura, disse a reportagem da TV na época. Fontes do Ministério das Relações Exteriores disseram que Honduras também indicou que está interessada em melhorar os laços com a administração em Washington.