IDFs atingem 100 alvos do Hamas depois de nove foguetes serem lançados contra Tel Aviv e cidades próximas à fronteira de Gaza

Forças de Defesa de Israel (IDFs) atingiram 100 alvos do Hamas, depois que nove foguetes foram disparados da Faixa de Gaza contra Tel Aviv e cidades na fronteira na noite desta quinta-feira (14).

Especialistas militares israelenses acreditam que os foguetes contra Tel Aviv foram disparados por engano. É a primeira vez que foguetes são disparados contra a cidade desde 2014. O Exército israelense informou que seis foguetes foram interceptados pelo sistema de defesa antimísseis Iron Dome e outros dois caíram em um campo aberto. Não houve relatos de feridos ou danos materiais, embora partes de foguetes tenham sido encontrados em uma escola de Sderot.

O Hamas negou a responsabilidade pelos ataques, mas Hazem Qassim, porta-voz do grupo terrorista, disse, em sua página no Facebook, que o povo de Gaza “continuará sua luta, apesar da constante agressão israelense na Faixa”.

Um funcionário do Hamas disse ao Times of Israel que o grupo terrorista “não tem interesse em novo conflito” com Israel. O funcionário disse que não tinha ideia sobre quem teria disparado os foguetes contra Tel Aviv.

A suspeita é de que o grupo terrorista Jihad Islâmica Palestina (PIJ) esteja por trás dos ataques, mas as IDFs não descartam a participação do Hamas.

Na manhã de sexta-feira, o porta-voz da IDF, Ronen Manelis, disse que mais de 100 alvos do Hamas foram atingidos em resposta ao lançamento de foguetes contra Tel Aviv. Segundo o Exército, dois dos alvos atingidos foram um local subterrâneo de fabricação de foguetes na Faixa de Gaza e um campo de treinamento militar.

As IDFs acreditam que os ataques possam ter sido planejados na Cisjordânia.