IDFs dizem ter destruído o maior túnel de ataque do Hezbollah na fronteira com o Líbano

Seis meses após os militares israelenses terem declarado o fim da Operação Escudo Norte, as Forças de Defesa de Israel anunciaram a destruição do maior túnel de ataque construído pelo Hezbollah em região da fronteira com o Líbano e que avançava em território israelense.

O túnel, que começou no vilarejo de Ramiya, no sul do Líbano, avançou vários metros em território israelense, perto das comunidades de Zarit e Shetula.

Este foi o último a ser descoberto pelas IDFs, desde o início de janeiro, e o maior e mais estratégico dos seis túneis transnacionais cavados pelo grupo xiita libanês para praticar ataques contra comunidades israelenses vizinhas em eventual novo conflito entre Hezbollah e Israel.

Ao contrário dos túneis cavados por grupos terroristas na Faixa de Gaza, estes, na fronteira com o Líbano, têm características próprias: são mais profundos, têm paredes reforçadas com concreto e são construídos diretamente na rocha.

O túnel de Ramiyah foi cavado a uma profundidade de 80 metros (262 pés) e tinha 20 andares de escadas. O túnel, que provavelmente levou vários anos para ser construído, também continha ferrovias para transportar equipamentos, lixo,e equipamento de iluminação, ar-condicionado e escadas. O túnel será preenchido com concreto líquido para remover a ameaça e impedir seu uso por militantes do Hezbollah.