Israel oferece benefícios econômicos ao Hamas em troca de cessar-fogo a longo prazo, diz jornal libanês

Israel ofereceu concessões econômicas ao Hamas e aliviará seu bloqueio à Faixa de Gaza em troca de um cessar-fogo a longo prazo, à medida que as tensões aumentam em meio a uma enxurrada de ataques de foguetes que emanam do enclave e de ameaças mútuas, informou o jornal al-Akhbar do Líbano nesta sexta-feira.

Segundo à reportagem, a proposta foi feita por oficiais de inteligência egípcios durante uma reunião com os principais membros do Hamas, informou o Canal 12.

Enquanto faziam a proposta, os egípcios alertaram as autoridades do grupo terrorista de que Israel é sério em suas ameaças de realizar uma ampla campanha militar se a violência continuar.

O Hamas, por sua vez, disse que não era responsável pelo recente lançamento de foguetes em direção a Israel, culpando “elementos desonestos”.

Israel sustenta que o Hamas, como governante da Faixa, é responsável por todos os ataques que emanam do território, enquanto afirma que acredita que a Jihad Islâmica está instigando a atual agitação.

Israel e o Egito impõem uma série de restrições ao movimento de pessoas e mercadorias para dentro e fora de Gaza.

Israel diz que o bloqueio é necessário para impedir o Hamas e outros grupos terroristas da Faixa de armar ou construir infraestrutura militar.

Terroristas palestinos na Faixa de Gaza dispararam um foguete em direção ao sul de Israel na quarta-feira à noite, provocando uma operação israelense em retaliação.

O foguete não conseguiu atravessar a fronteira e aterrissou dentro do território do enclave, segundo as Forças de Defesa de Israel.

Em resposta, um avião militar israelense bombardeou um posto de observação do Hamas ao longo da fronteira do norte da Faixa de Gaza, informou a IDF.

Nenhuma lesão foi relatada em ambos os lados.

O lançamento de foguetes de Gaza acionou sirenes na comunidade israelense de Netiv Ha’asara, ao norte da Faixa.
O ataque interrompeu um evento noturno de natação que a comunidade estava organizando na época, enviando dezenas de crianças correndo para abrigos antibombas.

O ataque de foguetes ocorreu em meio a uma série de ataques e ameaças mútuas entre Israel e grupos terroristas na Faixa de Gaza. Israel acusou a Jihad Islâmica Palestina, apoiada pelo Irã, de estar por trás da recente violência que emana do enclave.