“Israel veio para ficar e queremos a paz com ele”, diz chanceler do Bahrein

O ministro das Relações Exteriores do Bahrein, Khalid bin Ahmed al Khalifa, disse que Israel “veio para ficar” (no Oriente Médio) e “queremos a paz com ele”. Khalifa enfatizou que seu país reconhece o direito de Israel existir e quer selar a paz com o país. Ele pediu aos líderes israelenses para “conversarem conosco” sobre a Iniciativa de Paz Árabe.

O ministro disse que vê a conferência do Bahrein, que se realiza em Manama, como um evento semelhante ao de Camp David, onde foram assinados os acordos entre Israel e Egito, sob a mediação dos EUA.

“Nós vemos isso (a conferência) como algo muito, muito importante”, disse Al Khalifa ao The Times of Israel nos bastidores do workshop “Paz para a Prosperidade”.

Ele disse que considera a conferência organizada pelos EUA, com foco nos aspectos econômicos do plano de paz para o conflito israelo-palestino, como a visita do presidente egípcio Anwar Sadat a Jerusalém em 1977, que ajudou a pavimentar o caminho para os Acordos de Camp David, com a normalização das relações entre o Egito e Israel.

“Por mais que Camp David 1 tenha sido um importante passo, após a visita do presidente Sadat, se isso (a conferência) for bem-sucedido, nos concentrarmos no plano proposto e tivermos o apoio necessário, este pode ser o segundo (Camp David)”, disse Khalifa.

Em entrevista em sua suíte no elegante hotel Four Seasons de Manama, Khalifa não chegou a assumir o compromisso de estabelecer laços diplomáticos com Israel em um futuro próximo, mas afirmou inequivocamente o direito de Israel de existir como um Estado com fronteiras seguras. “Israel é um país da região e está lá para ficar, isso está claro”, disse ele.