Israel vota em eleições mais disputadas dos últimos anos

Cerca de 6,3 milhões de eleitores israelenses devem ir às urnas nesta terça-feira (9) para escolher entre os dois principais candidatos ao cargo de premier: Benjamin Netanyahu, o atual primeiro-ministro, e Benny Gantz, líder da aliança Azul e Branco.

A maioria dos analistas crê que o “rei Bibi”, como é chamado o premiê Binyamin Netanyahu, continuará no cargo, mesmo recebendo menos votos nas urnas.

As últimas pesquisas eleitorais dão a liderança em votos ao general Benny Gantz, 59, ex-chefe do Estado Maior das Forças Armadas e do recém-criado partido de centro Azul e Branco (cores da bandeira de Israel).

Ele obteria cerca de 30 das 120 cadeiras do Knesset (o Parlamento), contra cerca de 26 do Likud (direita), de Netanyahu.

Mas o sistema político israelense pode reconduzir Netanyahu ao poder. Quer dizer: o Azul e Branco pode ganhar, mas não levar.

Segundo as pesquisas, o bloco de partidos à direita no espectro político é mais robusto do que o de esquerda (numa proporção de 55% para 45%).

Se vencer no voto popular, Gantz terá de demonstrar uma habilidade política que muitos creem que não tem para forjar uma coalizão com 51% do Parlamento (61 cadeiras).

A previsão é de que até a tarde desta quarta-feira (10), entre 90% a 95% dos votos sejam apurados, e até quinta-feira à noite ou na manhã de sexta-feira, sejam divulgados os resultados oficiais finais – incluindo todas as urnas de locais de voto, como de hospitais, prisões, centros de detenção e missões diplomáticas israelenses no exterior.

Após a eleição começa o árduo processo de formação do governo dado o grande número de partidos e o fato de os grandes estarem longe de formar maioria.