Israelenses começam a votar em missões diplomáticas

Cerca de 5.000 diplomatas israelenses em quase 100 missões espalhadas pelo mundo começaram a votar hoje.

A grande maioria dos 6,3 milhões de eleitores israelenses terá que esperar até 9 de abril para votar, mas para os cerca de 5 mil diplomatas israelenses de 96 embaixadas e consulados em todo o mundo, as eleições começam hoje e irão até sexta-feira pela manhã.

De Amã a El Salvador e Gana, um total de 5.137 israelenses poderão votar em 77 países. Os locais de voto funcionam das 8:00 às 21:00 (horário local).

Representantes israelenses no consulado em Wellington, na Nova Zelândia, serão os primeiros a votar, após o voto do embaixador Itzhak Gerberg. A missão israelense em São Francisco será a última a encerrar a votação, cerca de 36 horas depois.

Enquanto o número médio de votos de uma embaixada ou consulado é de cerca de 40, o número de eleitores aptos a votar varia bastante de acordo com o tamanho da missão em cada país. O consulado de Nova York, por exemplo, o maior, tem um recorde de 750 eleitores aptos a votar neste ano.

De acordo com a lei israelense, os cidadãos israelenses que vivem no exterior não podem votar a menos que viajem a Israel. Mas a exceção feita aos diplomatas também se aplica aos emissários enviados ao exterior pela Agência Judaica, Keren Kayemet, Keren Hayesod e a Organização Sionista Mundial. Além disso, seus cônjuges e filhos (de 18 a 20 anos) também podem votar no exterior.

“Estamos falando de um processo muito complicado, mas tudo é feito para assegurar um sistema fácil para os eleitores em todo o mundo, com total transparência”, disse o embaixador israelense Yizhak Bachman, que atualmente atua como presidente do comitê eleitoral do Ministério das Relações Exteriores.