John Cusak publica tuíte antissemita, é criticado e se desculpa

O ator americano John Cusak publicou um tuíte antissemita – com imagem que mostra uma mão com uma estrela de David estampada esmagando um grupo de pessoas – e, diante de inúmeras críticas de políticos e de organizações judaicas, voltou atrás, retirou o post e se desculpou.

Ao lado da imagem postada há uma citação falsamente atribuída ao filósofo francês Voltaire: “Para aprender quem governa você, simplesmente descubra quem você não pode criticar”. Cusack adicionou em seu tuíte a frase: “Siga o dinheiro”.

A imagem e a falsa citação foram amplamente usadas online por supremacistas brancos e antissemitas.

Inicialmente, Cusack argumentou que a postagem tinha como alvo ações do governo israelense, mas, diante das críticas, apagou a mensagem e se desculpou. Mais tarde, ele admitiu que a imagem era antissemita, e não apenas crítica a Israel, e apagou tanto o tuíte original quanto suas justificativas.

“É claro que, mesmo que fosse a bandeira de Israel, e mesmo que não se tenha marcas antissemitas no corpo, ainda é um cartum antissemita, porque recorre a estereótipos anti-judaicos em seus ataques a Israel”. “Em reação aos direitos humanos palestinos, uma questão que preocupa qualquer um que luta por justiça, eu excluí (o tuíte) e rapidamente deletei uma imagem que é prejudicial tanto para amigos judeus quanto para palestinos, e, por isso, eu sinto muito”, escreveu Cusak em seu pedido de desculpas.

“A imagem mostrava uma Estrela de Davi azul, que eu associei a Israel, já que sua bandeira usa a mesma cor e forma. Eu sei que a estrela em si é profundamente significativa para os judeus. A estrela, mesmo que represente o Estado de Israel, quando combinada a símbolos ou comentários anti-judaicos é antissemita e o antissemitismo não tem lugar em qualquer diálogo político racional. Isso é tão ruim quanto combinar a cruz com a bandeira dos EUA ao confrontar, por exemplo, as políticas americanas”, acrescentou.

O American Jewish Committee reagiu à postagem inicial de Cusak afirmando num tuíte: “Se ao menos John (Cusak) tivesse algum tipo de túnel do tempo para voltar atrás e não ter tuitado isso…”, escreveu AJC no Twitter.

O repórter Yashar Ali, do Huffington Post, também criticou os argumentos iniciais de Cusack, afirmando que sua defesa foi “absurda”. “Isso foi nojento”, disse.