Longa português SEFARAD estreia no dia 07 de novembro

Antes do filme, haverá a exibição do curta The Nun’s Kaddish que foi visto e abençoado pelo Papa Francisco

Sefarad é uma forma de definir os descendentes de judeus oriundos de Portugal e Espanha; o apresentador Silvio Santos é um dos brasileiros sefarditas

O longa e o curta, ambos com direção de Luís Ismael, entram em cartaz em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Maceió, São Luís, Florianópolis e Vila Velha

Inspirado em fatos reais, com argumento e roteiro do Centro Histórico da Comunidade Judaica do Porto, SEFARAD conta a história dos judeus em Portugal, da idade média à inquisição, até a era moderna. A chegada em massa de judeus expulsos de Castela, Espanha, transformou, no século XV, a cidade do Porto numa pequena Judeia. Logo, porém, o rei de Portugal, Dom Manuel, proibiu oficialmente o judaísmo no país e a comunidade desapareceu. Após a primeira guerra mundial, judeus do Leste e do Centro da Europa chegaram à cidade formando uma pequena comunidade judaica, com o apoio do militar português Capitão Barros Bastos, convertido ao judaísmo. Este, então, procura resgatar todos os judeus que se tornaram cristãos-novos ou marranos, para fugir da intolerância religiosa. O projeto de Barros Bastos não teve o sucesso esperado pela comunidade, mas ao longo dos anos ele consegue uma nova lei permitindo oficialmente o regresso dos judeus a Portugal.

SEFARAD relata também a história do capitão Arthur Carlos de Barros Bastos (1887-1961), chamado de “Dreyfus português”, que tentou ajudar outros judeus e foi acusado de insulto e injúria. Ele acabou sendo expulso do exército depois que um tribunal o condenou por conduta imprópria a um oficial.

SINOPSE
Em 1496, o rei D. Manuel proibiu o judaísmo em Portugal e, por este motivo, a religião desaparece do país. 400 anos depois, Barros Bastos (Rodrigo Santos), capitão do exército português convertido, ajudou a resgatar para o judaísmo os portugueses que se tornaram cristãos-novos para fugir da intolerância racial e de religião.

FICHA TÉCNICA
Portugal, 2019, 90 min, classificação indicativa
Direção: Luís Ismael

Direção de Produção: Maria Pacheco
Direção de Fotografia: Francisco Vidinha
Direção Técnica: JD Duarte
Trilha Sonora Original: Pedro Marques
Produção: Ana Guimarães, João Pires
Direção de Arte: Carina Gaspar

Elenco: Francisco Santos, Pedro Galiza, Ana Vargas, Moshe Cohen, Rui Spranger, Gabriela Relvas e Jorge Fernandes

Distribuição: Lira Filmes

LUÍS ISMAEL – DIRETOR
Apaixonado por cinema, lembra-se do primeiro filme visto em sala de cinema: “Indiana Jones e os Salteadores da Arca Perdida”. A partir daí viu de tudo – de tudo mesmo – e é por isso que tem uma visão muito clara do tipo de cinema que quer fazer. A visão comercial do cinema e a sua postura na vida levaram-no também a escrever os roteiros de seus filmes. A trilogia Balas e Bolinhos é o seu projeto de maior público em Portugal, chegando o “Último Capitulo” da obra, a ser o filme português mais visto no país e cujo sucesso é nos dias de hoje tema de estudo em Universidades de Cinema.

É roteirista, diretor e protagonista de Bad Investigate, filme que mantém a estética de realização que criou ao longo da sua carreira, e onde reforça a sua marca no cinema português e internacional. É o diretor convidado pela Comunidade Judaica do Porto para realizar SEFARAD.