Mais três legisladores deixam o Partido Trabalhista britânico em protesto contra o antissemitismo

Mais três legisladores deixaram o Partido Trabalhista britânico em protesto contra o antissemitismo. David Triesman (foto), Leslie Arnold Turnberg, ambos judeus, e o armênio Ara Darzi renunciam afirmando que o partido é “institucionalmente antissemita”.

Triesman, Turnberg e Darzi anunciaram nesta terça-feira (9) a sua renúncia ao Partido Trabalhista. Eles permanecerão como independentes na Câmara dos Lordes, a casa superior.

O partido não era mais “um ambiente seguro” para os judeus”, escreveu Triesman em sua carta de demissão, que ocorreu em meio a um crescente conflito dentro do Partido Trabalhista por causa das investigações sobre denúncias de antissemitismo nas fileiras do movimento. “Minha triste conclusão é de que o Partido Trabalhista é claramente e institucionalmente antissemita”, disse Triesman.

Darzi disse que “como sobrevivente do genocídio armênio”, não tolera qualquer tipo de “discriminação contra religião ou raça”.

Os trabalhistas sob Jeremy Corbyn, de extrema-esquerda que foi eleito líder do partido em 2015, estão sendo investigados pela Comissão de Igualdade e Direitos Humanos, sobre milhares de denúncias de incidentes envolvendo discursos de ódio e em alguns casos, crimes de ódio.

Centenas de membros do Partido Trabalhista, incluindo cerca de 20 legisladores, deixaram o o movimento em protesto contra o que consideram “tolerância ao antissemitismo”.

Os partidários de Corbyn rejeitaram as acusações de que o problema se deve à postura anti-Israel de Corbyn. Em 2009, ele chamou o Hezbollah e o Hamas de ‘amigos’, acrescentando que o Hamas é “uma organização que se dedica ao bem do povo palestino e busca a paz e justiça social”.

Entre os críticos de Corbyn está Luciana Berger, política judia que deixou o partido em fevereiro por causa do antissemitismo e se juntou ao grupo centrista Change UK. Desde então, Berger atua como legisladora independente na Câmara dos Comuns.

As demissões acontecem enquanto avançam as investigações e são apresentadas mais evidências de que os partidários de Corbyn intervieram em procedimentos disciplinares para proteger membros acusados de antissemitismo.

O programa Panorama da BBC, que deve ir ao ar hoje, vai entrevistar membros do Partido Trabalhista sobre denúncias de que partidários de Corbyn intervieram em procedimentos disciplinares para proteger acusados de promover o antissemitismo nas fileiras do trabalhismo.