Na reta final para as eleições em Israel, pesquisas revelam que disputa entre Azul e Branco e Likud será apertada

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira pelo Israel Hayom mostra que a aliança centrista de Benny Gantz, a Azul e Branco, está na frente nas intenções de voto e conseguiria 32 cadeiras no Knesset nas eleições do dia 9, cinco a mais do que o Likud, do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, que ficaria com 27 assentos.

A pesquisa revela, porém que o Likud é mais forte e poderia derrotar o bloco de centro-esquerda por uma margem substancial de votos.

Para garantir a maioria no Knesset, de 120 assentos, a aliança Azul e Branco provavelmente não conseguirá formar uma coalizão governista sem o apoio de partidos de direita.

A pesquisa do Israel Hayom também avaliou a porcentagem de eleitores que têm certeza de seu voto. No topo da lista está o Partido Trabalhista com 77 das intenções de voto, seguido pelo Partido da Direita Unida (76%), Azul e Branco (72%), UTJ (71%) e Likud (70%). Por último estão o Meretz (48%) e Ta’al-Hadash (47%).

Cerca de 52% dos entrevistados disseram crer que Netanyahu conquistará um novo mandato, contra 27% que apostam em Gantz.

Outra pesquisa da Smith Research para o Jerusalem Post divulgada hoje mostrou a aliança Azul e Branco de Gantz à frente, conquistando 28 assentos e o Likud de Netanyahu 27.

Mas revelou que, numa avaliação geral, os partidos de direita venceriam com 68 assentos contra 52 do bloco centrista e de esquerda.

A emissora de TV Channel 12 também divulgou pesquisa, revelando que 36% dos entrevistados votariam em Netanyahu contra 35% que disseram votar em Gantz.

As pesquisas têm uma margem de erro calculada em 2,8%, para mais ou para menos.
Estas foram as últimas pesquisas, já que, por lei, hoje é o último dia em que esses dados podem ser divulgados antes que as urnas sejam abertas na terça-feira (9) pela manhã.