Nave israelense é lançada com sucesso e está a caminho para tentar pouso inédito na Lua

A nave israelense Beresheet (Genesis) foi lançada com sucesso na noite desta quinta-feira (21) do Cabo Canaveral, numa operação comemorada não só pelos engenheiros envolvidos no projeto, mas também por uma torcida estridente de 500 funcionários e suas famílias que se reuniram no refeitório da Israel Aerospace Industries para assistir ao lançamento da histórica missão lunar de Israel.

A decolagem ocorreu exatamente no horário – às 3h45, horário de Israel e 22h45, de Brasília. Confira o vídeo do lançamento aqui.

Seria mais um voo corriqueiro do foguete Falcon 9 para lançar um satélite comercial, não fosse a menor de suas cargas úteis – um pequeno módulo de pouso destinado à Lua, construído pelo grupo israelense SpaceIL. Se tudo correr como o previsto, após uma jornada de cerca de 40 dias até a Lua, Israel se tornará o quarto país a pousar suavemente um artefato em solo lunar. Até hoje, só americanos, russos e chineses realizaram a façanha.

Mais que isso, a SpaceIL deve se tornar a primeira nave privada do mundo a pousar na Lua. Desenvolvido originalmente para competir pelo Prêmio X Lunar Google, o módulo de pouso Beresheet tem apenas 180 kg, e o projeto custou cerca de US$ 100 milhões.

O voo entregou com sucesso sua carga principal – o satélite de telecomunicações Nusantara Satu, da Indonésia – numa órbita de transferência geoestacionária. Como cargas secundárias, de “carona”, voaram o Beresheet e um satélite de pequeno porte da Força Aérea americana.

O primeiro estágio do Falcon 9 usado no voo já estava em sua terceira missão. Antes disso, ele ajudou a lançar as missões comerciais Iridium-7 (em julho de 2018) e SAOCOM 1A (em outubro de 2018). O novo pouso foi realizado numa balsa automatizada no oceano Atlântico.

O Beresheet ainda tem um longo caminho pela frente antes de realizar sua histórica tentativa de pouso lunar. Ele foi colocado numa órbita excêntrica (alongada) ao redor da Terra, e nos próximos dias usará sua própria propulsão para elevar sua altitude máxima, até entrar numa órbita com apogeu de 400 mil km, em 20 de março. Essa órbita mais elevada intersectará com a da Lua, e nave e satélite natural farão um encontro, para inserção orbital ao redor da Lua, em 4 de abril. O pouso deve acontecer uma semana depois disso, em 11 de abril (Salvador Nogueira, Folha de S.Paulo).