Netanyahu adverte Hezbollah para represálias “devastadoras” em caso de ataque

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, advertiu, neste domingo (14), o Hezbollah de que haverá represálias “devastadoras” no caso de um ataque, depois de o líder do grupo xiita libanês ter declarado que seus foguetes poderiam alcançar Tel Aviv.

“Durante este fim de semana, ouvimos (Hasán) Nasrallah se gabar de seus projetos de ataque”, declarou Netanyahu no início do conselho de ministros semanal. “Se Hezbollah se atrever a cometer o erro de atacar Israel, vamos impor um golpe militar devastador (ao grupo)”, disse o primeiro-ministro.

O chefe do Hezbollah, Hasan Nasrallah, declarou na sexta-feira (12) que Israel não se “livraria” no caso de um conflito entre Irã e Estados Unidos.

“Quem disse que Israel se livraria se houvesse uma guerra contra o Irã?”, disse Nasrallah em longa entrevista transmitida na sexta à noite no canal de televisão do Hezbollah, Al Manar. “O primeiro a bombardear Israel será o Irã”, complementou e assegurou que o “Irã tem capacidade de bombardear Israel com força e ferocidade”.

Netanyahu afirmou na semana passada que os aviões de combate F-35 israelenses “podem chegar a qualquer lugar do Oriente Médio, incluindo o Irã”.

O Hezbollah é considerado pelos Estados Unidos e Israel como uma organização terrorista e é o único grupo que não se desarmou depois da guerra civil libanesa entre 1975 e 1990. Mas tem também um papel político importante, já que conseguiu 13 assentos no Parlamento no ano passado e três cargos no governo atual.