Netanyahu deve formar novo governo após vitória da direita

Com 97% dos votos apurados, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu tem a vitória praticamente garantida nas eleições desta terça-feira (9) em Israel, em votação apertada que terminou com seu partido, o Likud, empatado com o Azul e Branco, de Benny Gantz, e com o bloco de direita fortalecido. Embora empatado com Gantz, o primeiro-ministro garantiu a reeleição por ter forte apoio dos partidos de direita no Knesset.

“É uma noite de grande vitória. O bloco direitista liderado pelo Likud obteve uma vitória clara, e agradeço aos cidadãos de Israel por sua confiança”, disse o premiê na noite de ontem.

Gantz também comemorou o resultado de seu partido nas urnas: “É um dia histórico em Israel. Queremos agradecer a Netanyahu por seu serviço em prol do país e vamos honrar a palavra do eleitor. O maior partido é o que deve montar o governo. Nós somos os vencedores!”

O Likud obteve 26,27% dos votos, o que representa 35 cadeiras no Knesset, de 120 lugares – o melhor resultado do partido desde as eleições de 2003 – quando conquistou 38 cadeiras sob a liderança de Ariel Sharon.

Enquanto isso, o principal rival do Likud na eleição, o partido Azul e Branco liderado por Benny Gantz e Yair Lapid, obteve 25,94% dos votos, o que também lhe dará 35 cadeiras no Knesset.

Com cinco partidos de direita e ultra-ortodoxos conquistando juntos cerca de 30 assentos, Netanyahu conta com ampla maioria para formar um governo similar à sua atual coalizão de direita, com um total de 65 assentos.
Quatro partidos de esquerda e árabes se uniram para conquistar apenas 20 assentos, colocando-os a caminho da oposição, juntamente com Azul e Branco.

Chegando em surpreendente terceiro e quarto lugares estavam os partidos ultra-ortodoxos Shas e United Torah Judaism, com 6,10% (8 assentos) e 5,90% (8 assentos), respectivamente.

O quinto foi o predominantemente árabe Hadash-Ta’al com 4,61% ou seis assentos.

O Partido Trabalhista, historicamente dominante, caiu para o sexto lugar com 4,46% (seis lugares), o pior resultado do partido em 71 anos de história.

Com cinco cadeiras cada, Yisrael Beytenu (com 4,15%) e a União dos Partidos de Direita (3,66%).

Enquanto isso, o Meretz (3,64%), o Kulanu (3,56%) e o partido árabe Ra’am-Balad (3,45%) tinham quatro assentos cada.

O partido Nova Direita, liderado por Naftali Bennett e Ayelet Shaked, não conseguiu ultrapassar o limite eleitoral de 3,25%, conseguindo apenas 3,14% dos votos, e agora espera que os votos dos soldados possam ajudar a elevar o resultado.

Outra surpresa foi Zehut, do Moshe Feiglin, que cresceu nas pesquisas nas últimas semanas, com a previsão de conquistar entre 6 e 8 assentos. No final, o partido de extrema direita só conseguiu o apoio de 2,53% dos eleitores, o que o deixou de fora do Parlamento.