16 de dezembro de 2017 English Español עברית

Conib Logo

Conib saúda decisão do governo dos EUA de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel

06 Dez 2017 | 16:27
Imprimir

A Conib saúda a decisão do governo dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel, implementando uma lei sancionada em 1995 pelo Congresso americano.

Há mais de 3.000 anos, Jerusalém tem sido o centro da vida judaica, mesmo nos períodos em que não havia liberdade religiosa na cidade, ao contrário do que se vê atualmente, quando as três religiões monoteístas podem ser exercidas em sua plenitude.

Em 1949, um ano após a fundação do moderno Estado de Israel, Jerusalém tornou-se oficialmente a capital do país. É lá que se encontram instituições como o Parlamento, a Suprema Corte, os ministérios e os gabinetes do primeiro-ministro e do presidente.

Jerusalém Ocidental faz parte do território israelense desde a fundação do Estado de Israel, precedendo, portanto, o conflito de 1967.

“O povo judeu, ao longo dos séculos, nunca teve outra capital. A decisão de hoje reconhece essa realidade histórica, sem que isso signifique impedimento algum para se alcançar uma paz justa e duradoura na região”, diz Fernando Lottenberg, presidente da Conib.

"O anúncio de mudança da Embaixada dos EUA para a capital de Israel é apenas o reconhecimento da realidade local e deveria ser seguido por outros países, incluindo o Brasil", afirma Lottenberg.





Comentários


Últimas do blog

Vídeos