Obra Kadish será interpretada no palco do Teatro Colón, em memória às vítimas do atentado à AMIA

O Kadish para as vítimas do ataque terrorista de 1994 ao centro judaico da AMIA será realizado na icônica Casa de Ópera de Colón, em Buenos Aires, com 200 artistas no palco.

Na quarta-feira, dia 10, uma semana antes do 25º aniversário do ataque terrorista que marcou a história da Argentina, o Teatro Colón, principal casa de ópera do país, abre as portas para “Requiem – Kadish. O amor é mais forte que a morte”, obra do rabino Marcelo Polakoff e do compositor Ángel Mahler.

A peça mistura o réquiem cristão com o Kadish judeu. Alguns textos e orações serão apresentados por Norma Aleandro.

“Sete dos oito movimentos começam com textos em hebraico, como Kadish, Kol Nidre, um outro pesukim, cantado pelo coro de 200 cantores”, disse Polakoff ao Jewish Telegraphic Agency (JTA).

Mahler (o sobrenome do músico é artístico) disse à CNN: “Essa foi uma tragédia argentina. Eu não o preparei apenas para a comunidade judaica, é aberto, é para toda a sociedade argentina”. O maestro disse também que eles estão atualmente em negociações para apresentar a peça em outras cidades da Argentina e também em Israel.

Os oito movimentos de “Requiem – Kadish” são um diálogo musical entre as vítimas, seus parentes e amigos, os perpetradores, Deus e o Estado argentino, e serão exibidos por 200 artistas no palco, incluindo a Orquestra Filarmônica do Teatro Colón e o Coro Nacional Polifônico.