ONU proclama 22 de agosto como data em homenagem às vítimas de violência religiosa

A Assembléia Geral da ONU designou hoje o 22 de agosto como o Dia Internacional em Homenagem às Vítimas de Violência Religiosa.

A resolução foi co-patrocinada pela Polônia, Brasil, Canadá, Egito, Iraque, Jordânia, Nigéria, Paquistão e Estados Unidos, e adotada por unanimidade pelos 193 membros da entidade em votação nesta terça-feira.

A resolução condena “todos os atos de violência contra pessoas com base na sua religião ou crença, bem como quaisquer atos dirigidos contra as suas residências, empresas, propriedades, escolas, centros culturais ou locais de culto, assim como todos os ataques a locais religiosos e santuários que violam o direito internacional”.

“O terrorismo e o extremismo violento em todas as suas formas e manifestações não podem e não devem estar associados a nenhuma religião, nacionalidade, civilização ou grupo étnico”, acrescenta a resolução.

O documento enfatiza que “a liberdade de religião ou crença, liberdade de opinião e expressão, o direito à reunião pacífica e o direito à liberdade de associação são interdependentes, inter-relacionados e se reforçam mutuamente, e enfatizam o papel que esses direitos devem desempenhar na luta contra as ameaças às religiões e todas as formas de intolerância e discriminação por motivos religiosos, ou de credo”.

O Dia Internacional terá como objetivo “homenagear as vítimas e os sobreviventes que muitas vezes permanecem esquecidos” , disse o ministro das Relações Exteriores da Polônia, Jacek Czaputowicz.