Pesquisa da União Europeia revela que jovens judeus enfrentam duas vezes mais o antissemitismo

Estudo realizado pela União Europeia revelou que jovens judeus europeus sofrem duas vezes mais pressões e constrangimentos antissemitas do que outras faixas etárias da comunidade judaica.

Cerca de 44% dos entrevistados com idades entre 16 e 34 anos disseram ter sofrido assédio antissemita, principalmente por meio de emails, mensagens de texto e postagens nas mídias sociais. A maioria dos que participaram da pesquisa culpou os islâmicos pelo antissemitismo.

O estudo foi feito com base em dados coletados através de uma pesquisa online entre maio e junho de 2018 e envolveu 16.395 entrevistados de todas as idades em 12 países.

Mais de 80% dos judeus de todas as idades disseram sentir que o antissemitismo aumentou na internet nos últimos cinco anos e cerca de 70% disseram que enfrentaram mais hostilidades em público.

De acordo com a pesquisa da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia, o antissemitismo enfrentado pelos jovens é mais que o dobro do enfrentado por pessoas com mais de 60 anos.

A representante europeia para a Justiça, Vera Jourova, prometeu pressionar os Estados membros para que se empenhem mais para solucionar o problema. “Lamentavelmente, constatamos que jovens europeus judeus estão mais expostos a incidentes antissemitas do que os mais velhos”, disse ela.