Presidente da Conib fala sobre “Herança Judaica” em evento na Hebraica

Até dia 16 de junho, o clube A Hebraica sedia os “Eventos Culturais Portugueses”. A abertura da programação aconteceu nesta terça (11), no Teatro Anne Frank do clube e reuniu um público de cerca de cem pessoas. O presidente da Conib, Fernando Lottenberg, esteve presente e participou da palestra “Herança Judaica”, ao lado da Secretária de Estado de Turismo de Portugal, Anna Mendes Godinho e da historiadora Margarida Ramalho.

O presidente da Hebraica, Daniel Bialski, abriu a solenidade. O coquetel e palestra contaram com a presença do Cônsul de Portugal em São Paulo, Paulo Nascimento, do Cônsul Geral de Israel em São Paulo, Dori Goren, representantes da comunidade judaica, e de várias entidades.

O evento oferece exposições, palestras, gastronomia, artesanato contemporâneo, cinema, venda de produtos, entre outras atrações. Entre as palestras, estão agendadas “Viver, Estudar e Investir em Portugal”, que acontece hoje, logo mais às 18h, com o Cônsul Bernardo Cardoso e Nuni Rebelo de Sousa; “Roteiros Judaicos em Portugal”, no dia 15, às 18h30, com Isaac Assor (Alegretur), Bernardo Cardoso (Diretor do Turismo de Portugal no Brasil), Luís Quaggio (TAP) e Carla Davidovich (Diretora da New Age) e “Nacionalidade Portuguesa para Descendentes de Judeus Sefarditas”, marcada para o dia 16, às 17h, com Isaac Assor e Hugo Gravanita (Cônsul Geral Adjunto no Consulado Geral de Portugal em SP).

A entrada é gratuita e as inscrições através da Central de Atendimento: (11) 3818-8888 / 8889. A programação completa está no site.

Confira um pouco do discurso de Fernando Lottenberg.
Em sua fala, ele destacou a relação do Brasil com os cristãos novos vindos de Portugal:

“É importante destacar que dos 13 navios que vieram na esquadra de Pedro Álvares Cabral, onze deles eram liderados por capitães com sobrenomes típicos dos cristãos novos, além da presença de Gaspar de Lemos, judeu de origem polonesa. Outros nomes podem ser destacados no cenário brasileiro ao longo do tempo: Fernando de Noronha, João Ramalho e Raposo Tavares, entre tantos outros personagens importantes da história do país.

Certamente o Brasil é o país que tem o maior número de descendentes dos cristãos novos. Os números não são exatos, mas alguns historiadores respeitados e conhecedores desta matéria afirmam que em torno de 10% da população brasileira pode ter origens familiares de cristãos novos, ou seja, antigos judeus. Por tais razões, é importante reconhecer o esforço que tem sido feito por parte do governo português no sentido de resgatar este momento tão delicado se sua história, e o faz de forma concreta e sensível, permitindo o acesso à cidadania para aqueles que possam comprovar sua ascendência, e investindo recursos financeiros, neste resgate histórico, renovando os vários lugares onde a presença judaica existiu em solo português. Hoje são quase 35 lugares históricos, preservados, devidamente identificados para que o público, formado por turistas, e interessados neste passo histórico possam desfrutar daquele país. Estive em algumas ocasiões, nos últimos anos, em Portugal, e constatei a transformação do país, e a importância que o governo português tem dado para este período do seu passado. O tema da cidadania é uma realidade para os judeus sefaraditas que foram expulsos no passado. Visitei vários dos lugares que foram importantes centros de convivência da comunidade judaica da época”.