Programação intensa marcou  primeiro dia da Convenção

Voltada para os representantes das 14 federadas, das instituições judaicas e de lideranças comunitárias, a agenda de sexta-feira (1) resultou em um painel diverso. Os assuntos foram do discurso de ódio à conjunção política nacional, passando pela apresentação do trabalho de instituições criadas há poucos anos e uma exposição de realidades encontradas em outras duas comunidades da América Latina: Argentina e Colômbia. O Presidente da Conib, Fernando Lottenberg, abriu os trabalhos com uma ampla explanação sobre as ações feitas pela instituição ao longo do ano.

O primeiro dia da convenção, no Hotel Tryp Iguatemi, reuniu exposição sobre o tema do discurso de ódio, com equipe da Fundação Getúlio Vargas e o diretor da Conib, Rony Vainzof. A Conib e a FGV realizaram vasta pesquisa sobre o tema, que resultou em um relatório de 350 páginas. Do estudo nasceu o “Guia para Análise de Discurso de Ódio”. O guia, como explicaram Alexandre Pacheco, Victor Nóbrega Luccas, Fabrício Vasconcelos Gomes e João Pedro Favaretto Salvador, da FGV, visa o esclarecimento conceitual do discurso de ódio e espera auxiliar na identificação, avaliação, regulação e sancionamento desse tipo de manifestação.

O dia seguiu com as apresentações das instituições Stand With Us e Instituto Brasil Israel, ambas com poucos anos de existência. A primeira organização teve seus princípios, atividades e objetivos explicados por Sabrina Abreu. A apresentação do IBI foi feita por Marilia Neustein.

Uma conversa com os jornalistas Andréia Sadi, da GloboNews e Felipe Seligman do Jota, sobre o cenário político, mediada pelo diretor de comunicação da Conib, Sergio Malbergier, ofereceu uma exposição ampla sobre o que acontece em Brasília, na visão de quem cobre cotidianamente o poder.

O painel “Os desafios das comunidades judaicas latino-americanas” com Jorge Knoblovits, Presidente da Daia, e Marcos Peckel, Diretor da Comunidade Judaica da Colômbia, com moderação de Adrian Wertheim, Presidente do Congresso Judaico Latino-Americano, fechou a programação. Além de características e desafios de cada comunidade, foi apresentada pelo Congresso Judaico Latino-Americano, uma pesquisa sobre temas de maior interesse das comunidades em cada um dos países da região: questões comunitárias, antissemitismo, segurança e Oriente Médio, entre outros. Foram ouvidos 800 líderes comunitários nesta terceira edição consecutiva da enquete.