Rabino é atacado em Rosário, em novo episódio de antissemitismo na Argentina

O rabino Shlomo Tawil, do Chabad-Lubavitch de Rosário, foi atacado no domingo à noite por três homens no centro da cidade, em novo episódio antissemita na Argentina.

O rabino foi agredido verbalmente e fisicamente. Os agressores gritaram insultos antissemitas antes de arrancar o chapéu do rabino e pisoteá-lo no chão. Depois, empurraram o rabino, jogando-o no chão e espancando-o.

Transeuntes intervieram contra a agressão, ajudando o rabino. O ataque foi considerado antissemita, já que os agressores não roubaram nada do rabino.

O presidente da organização judaica argentina DAIA, Jorge Knoblovits, divulgou nota condenando o ataque e exigindo das autoridades “um rápido esclarecimento deste evento infeliz”.

“Esperamos que essas pessoas violentas sejam definitivamente erradicadas da sociedade argentina que escolheu o caminho da coexistência pacífica e da justiça”, diz a nota.

O rabino está se recuperando em casa com sua família. Originário de Buenos Aires, o rabino é diretor do Beit Chabad de Rosário desde 1987, é casado e tem oito filhos e dois netos.

O presidente da Câmara de Rosário, Antonio Bonfatti, tuittou na segunda-feira que “como sociedade não podemos permitir esses atos de violência e intolerância”, e pediu “paz e tolerância”.

Tawil é segundo rabino agredido em poucos meses na Argentina e esse é o terceiro ataque a um judeu nos últimos dois meses. Outras dois ataques ocorreram em Buenos Aires, um em abril e outro em maio.