Sinagoga de Recife abriga exposição sobre sionismo em Festival de Cultura Judaica

A Sinagoga Kahal Zur Israel, localizada no casarão 197 da rua do Bom Jesus, no Bairro do Recife, inaugurou neste domingo (2) a exposição “O sonho de um novo lar: raízes alemãs do Sionismo”, numa ação coordenada entre o Consulado Geral da Alemanha no Recife, a Embaixada da Alemanha e o Instituto Leo Baeck, de Nova York. “É uma exposição extremamente atual, porque trata de questões ligadas à fuga, à integração e à identidade cultural, que acontecem na Alemanha, na Europa e em várias outras partes do mundo”, destacou a Cônsul Geral da Alemanha no Recife, Maria Könning-de Siqueira Regueira. “E um aspecto muito importante para a Alemanha é a consciência de nossa responsabilidade histórica. Nós temos a obrigação de preservar a memória, a responsabilidade de assegurar que os abomináveis crimes dos nazistas não sejam esquecidos”. “Temos que lembrar para resistir ao ódio que coloca em risco a vida de tantas pessoas. A liberdade religiosa é um direito fundamental e nós repudiamos qualquer forma de discriminação. Tolerância, autodeterminação e respeito à diversidade são valores imprescindíveis para uma democracia”, destacou Maria Könning. A mostra traz livros, jornais, correspondências e fotografias e trata do sonho de um refúgio diante da perseguição aos judeus, ideia que culminou com a criação do Estado de Israel, após a Segunda Guerra Mundial. O evento é parte das festividades do 27º Festival da Cultura Judaica do Recife, que, ontem, contou com apresentações de música, dança e venda de comidas típicas (Mariana Mesquita, Folha PE).