Trabalho do Moré Ventura na periferia de SP atrai uma das maiores agências de fotografia do mundo. Veja ensaio.

O rabino Gilberto Ventura atua há anos junto a movimentos sociais, da juventude negra e de periferia de São Paulo, no campo da justiça social, da luta contra a discriminação e do diálogo inter-religioso. Ele é assessor de Conexão da Federação Israelita do Estado de São Paulo.

Ventura visita favelas, onde se solidariza com os menos privilegiados, distribui alimentos e joga futebol com as crianças.

Ele também montou uma banda de música ecumênica, que inclui um muçulmano, um devoto da seita Hare Krishna, um budista, um católico e outro judeu.

Sua ação atraiu a atenção de Abbas, um dos fotógrafos de maior prestígio no mundo, e da Magnum, uma das maiores agências.

Em ensaio intitulado “Brazil, An Unorthodox Rabbi” ["Brasil, um rabino heterodoxo", em tradução livre], Abbas mostra o rabino com sua família, atuando na periferia, tocando com seus companheiros.

No último fim de semana, no Recife, Ventura organizou a primeira comemoração de rua da festa de Purim nos últimos 400 anos, conforme manchete de capa no Diário de Pernambuco (veja imagem abaixo).

Veja o ensaio completo.


Ventura na favela Jangadeiro, no bairro do Capão Redondo, em São Paulo. Foto: Abbas/Magnum.

Ventura em sua banda, com um devoto de Hare Krishna (esq.) e um muçulmano (dir.) Foto: Abbas/Magnum.

Ventura distribui comida na favela do Jangadeiro. Foto: Abbas/Magnum.


Diário de Pernambuco/Reprodução.