Trump e Macron devem ir a Israel em janeiro para comemorar os 75 anos da libertação de Auschwitz

Os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da França, Emmanuel Macron, devem ir a Israel em janeiro para participar das comemorações pelos 75 anos da libertação do campo de Auschwitz.

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, também devem ir, mas ainda não confirmaram presença.

Segundo o Jerusalem Post, os líderes devem chegar a Israel em 26 de janeiro para participar do Fórum Mundial do Holocausto em Yad Vashem no dia seguinte.

O presidente russo, Vladimir Putin, também estaria comprometido com a data. No início deste mês, ele convidou o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu para participar de uma cerimônia em Moscou em maio próximo, em comemoração ao 75º aniversário da derrota dos nazistas.

Se Macron participar do evento, será a sua primeira visita a Israel. Esta será a segunda visita de Trump como presidente a Israel, e ele ainda deve voltar pouco antes do início da campanha eleitoral, com as prévias de Iowa em 3 de fevereiro e em New Hampshire.

O Post apurou que os eventos em comemoração pelos 75 anos da libertação do campo de Auschwitz serão financiados por grande doador anônimo.

“Com o surgimento de vozes antissemitas, recentemente me aproximei de líderes mundiais para convidá-los para uma conferência internacional que será realizada no Yad Vashem em janeiro próximo, para marcar o 75º aniversário da libertação de Auschwitz”, disse o presidente Reuven Rivlin em cerimônia do Dia da Lembrança do Holocausto no Yad Vashem.

“Aqui em Jerusalém, juntamente com presidentes e chefes de Estado, uniremos forças na luta intransigente contra o antissemitismo, a xenofobia e a negação do Holocausto”, disse ele.