Visita de Bolsonaro fortalece laços com Israel

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu discursou ontem, no hotel David Citadel, em Jerusalém, reafirmando a parceria Brasil-Israel. Em café da manhã, antes de ir para o Museu do Holocausto, o primeiro-ministro deixou claro aos 100 convidados presentes (a maior parte empresários) que sua aposta na nova parceria bilateral é para valer. O presidente brasileiro, por sua vez, afirmou que o Brasil vive “novos tempos” e tem uma enorme possibilidade de exploração de sua biodiversidade e de parcerias a serem realizadas com Israel. O presidente citou especificamente a Amazônia, a exploração de minério e enfatizou, também, o fato de o país ter a segunda maior reserva de grafite do mundo, com foco na produção de grafeno (uma das formas do carbono).

“O recado que dou aos senhores é de novos tempos. Estamos à disposição dos senhores que querem investir no Brasil. Serão bem acolhidos, bem tratados, e poderão confiar em nossos trabalhos”, disse. “Nasceu um novo país em 1º de janeiro. Deixou-se de lado a questão ideológica que nos atrasava, e muito. Estamos fazendo a nossa parte.

Propostas foram enviadas ao Parlamento. Tenho certeza de que o Parlamento, com sua responsabilidade e seu patriotismo, dará uma resposta a isso”, disse.

Ele citou a abertura do escritório comercial em Jerusalém como novidade que vai auxiliar acordos comerciais entre os dois países. “Como há pouco nos tornamos noivos, no bom sentido, abrindo aqui uma representação nossa de negócios, tecnologia, pesquisa e inovação em Jerusalém, os senhores começam cada vez mais a notar que esse nosso relacionamento veio para ficar”. Foi aplaudido.

Veja matérias publicadas no Valor Econômico e em O Estado de S.Paulo.