Acordo com Israel fortalece o Bahrein diante da ameaça do Irã, diz ministro

O ministro do Interior do Bahrein disse que o acordo de normalização com Israel não representa uma negação à causa dos palestinos, mas sim um movimento para fortalecer o reino diante da ameaça do Irã à segurança regional.

“Não é um abandono da causa palestina; é o fortalecimento da segurança do Bahrein e sua estabilidade econômica”, disse Rashid bin Abdullah Al Khalifa, de acordo com a agência de notícias Reuters. “Se a Palestina é nossa causa árabe, então Bahrein é nossa causa fatídica”.

“O Irã optou por se comportar de maneira dominante sob vários aspectos e se tornou um perigo constante que ameaça nossa segurança interna”, disse Khalifa. “A situação regional nos faz lidar com ameaças constantes nos últimos anos, nas quais a maioria delas foi dissuadida. Não é aconselhável ver a ameaça e esperar que ela nos alcance se pudermos de alguma forma evitá-la”.

“Somos um estado determinado a desenvolver nossas capacidades nacionais e nossa estratégia antiga e moderna se baseia em fortes aliados para enfrentar as ameaças potenciais”, disse.

Israel, Emirados Árabes Unidos e Bahrein consideram o Irã como inimigo comum e mantêm laços estreitos com Washington.

O Bahrein acusou o Irã de instigar protestos da comunidade muçulmana xiita do país, que constitui a maioria de sua população, contra a dinastia sunita Al-Khalifa.

O reino contou com a intervenção saudita para esmagar a dissidência em 2011 durante a Primavera Árabe. O pequeno país insular faz fronteira com a Arábia Saudita, um dos principais inimigos do Irã, e depende muito de Riad para obter apoio financeiro.