Yonatan Sindel/Flash90

Após acordo com Bennett, negociações com partidos avançam e Lapid pretende anunciar novo governo em 1 ou 2 dias 

Após o anúncio do presidente do partido Yamina, Naftali Bennett, de que planeja se juntar ao líder do Yesh Atid, Yair Lapid, em um governo de unidade para destituir o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, equipes de negociação dos dois partidos e de outros do chamado “bloco de mudança” se reuniram durante a noite de domingo e início desta segunda-feira em uma tentativa de fechar um acordo para formar uma nova coalizão.
Houve “progresso significativo” nas negociações de quatro vias entre representantes de Yamina, Yesh Atid, Nova Esperança e Azul e Branco, informou a mídia israelense nesta segunda-feira, com a previsão de as partes continuarem as reuniões ao longo do dia.
Ao mesmo tempo, foram relatados vários desacordos sobre certas pastas ministeriais, com vários partidos exigindo maior participação no governo definido para ser composto por pelo menos sete partidos.
Sob o acordo de rotação emergente entre Yamina e Yesh Atid, Bennett serviria como primeiro-ministro até setembro de 2023 e, em seguida, passaria o cargo ao líder do Yesh Atid, Yair Lapid. Juntando-se à coalizão, haverá uma mistura de partidos de direita, de centro e de esquerda que não entrarão em um governo liderado por Netanyahu, que está sendo julgado em três casos criminais.
De acordo com vários relatos, Lapid, que foi incumbido pelo presidente Reuven Rivlin de formar um governo, planeja anunciar que ele conseguiu alinhar uma coalizão nesta terça-feira, ou já no final de hoje. Ele tem até quarta-feira para comunicar formalmente ao presidente que conseguiu formar um governo.
Lapid, que até agora chegou a acordos de coalizão informais com Yisrael Beytenu, Meretz e Trabalhismo, deve dar uma declaração sobre as negociações em andamento na abertura de sua reunião do partido Yesh Atid no Knesset na tarde desta segunda-feira. Ele também responderá a perguntas de repórteres.
Bennett anunciou no domingo que se uniria a Lapid para formar uma coalizão, prometendo um governo de unidade de direita que acabará com dois anos de impasse político e destituirá Netanyahu após 12 anos consecutivos no poder.
“As eleições provaram que não há mais a possibilidade de um governo de direita sob Netanyahu. Há unidade ou quinta eleições”, disse Bennett em discurso transmitido pela televisão em rede nacional, após semanas de negociações com Lapid e conversas com Netanyahu, nas quais parecia que ele poderia acabar apoiando qualquer um dos líderes.
O anúncio confirmou dias de rumores de que Bennett havia optado por um acordo para um governo rotativo com Lapid que colocará o líder do partido de direita no cargo de primeiro-ministro pelos próximos dois anos, promovendo uma grande mudança na política israelense com a saída de Netanyahu, retirado do poder por seus ex-aliados depois de várias tentativas para conseguir apoio suficiente para sua própria coalizão.
Enquanto as negociações para formar um governo Bennett-Lapid continuam, Netanyahu pretende continuar a pressionar parlamentares do Yamina a desertar do partido e votar contra o governo alternativo, disseram fontes do Likud à emissora pública Kan nesta segunda-feira, embora admitissem que tal possibilidade parecia improvável.

Foto: Yonatan Sindel/Flash90