Após resultado apertado, partidos começam a negociar possíveis coalizações em Israel

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu convidou hoje pela manhã o líder do Azul e Branco, Benny Gantz, para, juntos, formarem um amplo governo de união.

“Durante as eleições, pedi o estabelecimento de um governo de direita. Mas, infelizmente, os resultados das eleições mostram que isso não é mais possível”, disse Netanyahu em vídeo divulgado nas redes sociais.

Em reunião de seu partido em Tel Aviv, Benny Gantz disse que não é sensato entrar em negociações com um bloco político (de direita). “Azul e Branco teve a melhor votação”, disse Gantz. “Conquistamos 33 cadeiras e Netanyahu não conseguiu ganhar as 61 cadeiras do bloco que o apoia. Construirei um governo amplo e liberal que representará a vontade do povo. Não nos renderemos a nenhuma imposição. As negociações serão dirigidas por mim de forma responsável e com bom senso”, disse Gantz.

Yair Lapid, o segundo líder do Azul e Branco, pediu paciência, dizendo que a formação de um governo levará tempo e, enquanto isso, haverá mais negociações e a possibilidade de uma rotatividade política. “O Likud está começando a perceber que é o começo do fim para (Netanyahu). Uma pessoa está impedindo a formação de um governo de unidade liberal”, disse Lapid.

O líder do Israel Nossa Casa (Yisrael Beytenu), Avigdor Liberman, disse a membros de seu partido que pretende recomendar Benny Gantz ao presidente Reuven Rivlin para formar o novo governo. Liberman teria feito a declaração em encontro com correligionários a portas fechadas, segundo informou hoje o Canal 12. Liberman é apontado como “curinga” em futuras negociações e sua posição marcaria um impulso significativo para Gantz formar um novo governo.

O apelo de Netanyahu veio depois que 96,5% dos votos apurados nas eleições desta terça-feira (17) davam ao Azul e Branco 33 cadeiras no Knesset contra 31 do Likud, de Netanyahu.

“O povo não pode decidir entre os dois blocos. Portanto, não há escolha a não ser estabelecer um governo de unidade ampla, o mais amplo possível, com base em todos os valores que o Estado de Israel preza”, disse Netanyahu.

“Ontem, me reuni com membros da direita e concluí que estávamos nos unindo como um bloco com um único representante para negociações ( para a formação de uma coalizão)”. “Agora eu digo a você, Benny Gantz: precisamos estabelecer um amplo governo de unidade hoje. As pessoas esperam que nós dois demonstremos responsabilidade e trabalhemos juntos e em cooperação”.

Contando com o apoio de uma bancada de 55 membros no Knesset – seis a menos da maioria de 61 que ele necessita -, Netanyahu se reuniu com líderes dos partidos de direita, que se comprometeram a recomendá-lo ao presidente Rivlin para formar o próximo governo.

O presidente Reuven Rivlin, que prometeu fazer tudo ao seu alcance para impedir uma terceira votação, elogiou o apelo de Netanyahu a Gantz para que os dois partidos formem um governo de unidade.

Após o anúncio oficial dos resultados nas urnas, Rivlin se encarregará de convocar o líder que considera mais apto a formar um novo governo.

Hoje, os grupos de direita assinaram um documento conjunto, afirmando que só se juntariam a um governo liderado por Netanyahu.

Netanyahu, Gantz e Rivlin se encontraram rapidamente na manhã de hoje em evento em Jerusalém em memória de Shimon Peres, pela passagem do terceiro aniversário de sua morte.