Babi Yar, alvo de bombardeio russo, é lugar simbólico para os judeus

Babi Yar (ou Babyn Yar) foi alvo de bombardeios russos à Kiev, nesta terça-feira (1), segundo revelou a imprensa internacional. O memorial às vítimas fica ao lado de uma torre de transmissão atingida pelo bombardeio em ataque que causou a morte de cinco pessoas. Não está claro, até o momento, até que ponto o memorial foi danificado.

Babi Yar é cenário importante e simbólico para os judeus e para a humanidade. Entre 29 e 30 de setembro de 1941, mais de 33.000 pessoas, a maioria judeus, foram mortas na ravina Babi Yar perto de Kiev, sob ocupação nazista. Foi um dos maiores massacres ocorridos durante a Segunda Guerra Mundial. Os judeus – homens, mulheres, crianças e idosos – foram obrigados a se concentrarem em um local da cidade, levando consigo documentos, dinheiro e roupas, sob pena de fuzilamento. De lá foram levados, em grupos, para a ravina. Segundo relatos, eles eram obrigados a se despirem e então eram fuzilados. O massacre foi realizado em dois dias, a cargo da unidade C do Einzsatzgruppen, o esquadrão de extermínio das SS.
Babi Yar não testemunhou apenas este massacre. Foi cenário de inúmeras outras execuções durante os dois anos de ocupação nazista de Kiev.
Apenas em 1976 o local recebeu um memorial a todos os mortos. Um memorial específico para lembrar as vítimas judias só foi construído em Babi Yar depois do fim da União Soviética.

Em outubro último, o local foi palco de uma homenagem às vítimas pelos 80 anos do massacre em evento que reuniu os presidentes da Ucrânia, Israel e Alemanha. Durante as homenagens foi inaugurado um “Muro das Lamentações de vidro”, obra de 40 metros de altura incrustada com quartzo criada pela artista sérvia Marina Abramovic. O muro foi encomendado pela fundação Babyn Yar Holocaust Memorial Center.