Casos de Covid aumentam em Israel, mas governo nega fechamento de aeroporto 

Mais de 800 novos casos de Covid-19 foram registrados em Israel neste domingo, mas o governo negou as informações sobre o possível fechamento do aeroporto Ben Gurion, como forma de conter o avanço da doença, segundo informou Stuart Winer e a equipe do  Times of Israel.
O ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, disse nesta segunda-feira que não planeja pressionar o governo para determinar o fechamento do aeroporto Ben-Gurion, um dia depois de circularem boatos sobre a adoção da medida para conter o aumento das taxas de infecção por coronavírus.
Outros altos funcionários disseram que não estão sendo cogitadas medidas mais drásticas, como um novo bloqueio, para conter a disseminação da doença, mesmo com as taxas diárias chegando a mais de 800 – 831 neste domingo -,, elevando o número total de casos ativos no país para quase 7.000.
A mídia israelense noticiou neste domingo que o governo estava considerando uma suspensão drástica das viagens, a fim de bloquear a entrada de variantes do coronavírus no país. A mutação Delta, em particular, está sendo apontada como a principal causa do recente ressurgimento das infecções, forçando as autoridades a impor novas restrições para conter a onda.
As fontes observaram que tal decisão causaria pânico entre as dezenas de milhares de israelenses que estão no exterior.
Horowitz se reuniu com a ministra da Economia Orna Barbivai, com a ministra da Cultura e Esportes Chili Tropper, com altos funcionários do Ministério da Saúde e com representantes do Ministério das Finanças e do Conselho de Segurança Nacional, segundo informou o Channel 13 News citado na matéria do Times of Israel.
Durante a reunião, Horowitz teria deixado claro que o fechamento do aeroporto não estava sendo cogitado. A medida teria sido cogitada durante reuniões do gabinete sobre a adoção de medidas para conter o recente surto, mas fontes do gabinete do primeiro-ministro disseram que nenhuma decisão desse tipo seria tomada nos próximos dias.