Celebridades israelenses lutam na guerra virtual contra ataques a Israel nas redes sociais

Em reação à Operação Guardião das Muralhas, contas do Instagram e mídias sociais de celebridades e influenciadores israelenses foram invadidas com mensagens de usuários árabes e pró-palestinos pedindo um boicote a Israel.
Além disso, eles estão divulgando notícias falsas sobre eventos que acontecem em Israel e sobre atividades das IDFs.
Entre as pessoas famosas em Israel e no exterior que estão sendo atacadas estão Gal Gadot, Bar Rafaeli, Esti Ginzburg, Noa Tishby, Lee Levi, Noga Erez e Idan Amedi. Uma série de organizações anti-Israel também tem cercado contas de mídia social de celebridades e influenciadores israelenses com comentários desagradáveis.
“Esta é a situação mais extrema que já vimos em termos do número de comentários anti-Israel”, afirma Aviv Lusky, CEO e fundador da Digistage, uma empresa de serviços digitais para artistas e celebridades israelenses. “Estamos perdendo muito tempo nesta guerra no que diz respeito à nossa imagem. O lado pró-palestino tem milhões de apoiadores de hashtag a mais do que nós. O outro lado tem sido muito bem-sucedido na guerra virtual que está travando, e o problema mais sério é que eles estão usando celebridades ao redor do mundo para esse fim”.
Quem você acha que está por trás dessa campanha?
“Eu gerencio cerca de 70% dos principais artistas de Israel e posso ver que estamos lidando com ataques extremamente bem organizados. É difícil dizer exatamente quem está por trás deles, mas eles geralmente são dirigidos por estudantes universitários em todo o mundo árabe que escolhem seus alvos e depois partem para a batalha”.
Segundo Lusky, essa batalha está sendo travada simultaneamente em duas frentes.
“No primeira, eles tentam invadir as contas do Facebook e Instagram das pessoas, enviando uma mensagem de que há um problema com sua conta”. “A segunda forma é postar comentários e respostas. Todas as contas de celebridades que gerenciamos, incluindo Erez, Amedi, Yuval Dayan, Amir Dadon, Natan Goshen e praticamente todos os outros artistas com quem trabalhamos estão sendo bombardeados com todos os tipos de comentários anti-Israel, principalmente em inglês e árabe. Isso acontece sempre que Israel está envolvido em operações militares.
“Na campanha atual, no entanto, o número desse tipo de mensagem cresceu muito. Muitas das mensagens são apenas emojis, com a maioria delas incluindo a bandeira palestina. E entre 20% a 30% dos comentários nas postagens são feitos por árabes”.
Como você lida com isso? Você responde? Você apaga os comentários?
“Chegamos à conclusão inequívoca de que a melhor maneira de lidar com esses comentários é simplesmente ignorá-los. Não há como rastrear centenas de milhares de respostas. Tecnicamente, isso seria bastante desafiador. Frequentemente, isso leva a uma batalha entre os campos pró e anti-Israel. Claro, claramente há muitos comentários negativos, então estamos fazendo grandes esforços para garantir que haja muitos comentários pró-Israel também. Não podemos apenas ficar sentados e assistir a mídia social de nossos clientes se encher de retórica anti-Israel”.
De acordo com o professor Elazar Lev-On, especialista em Internet e mídia social da Ariel University, existem alguns motivos para a recente escalada no número de comentários feitos nas mídias sociais.
“A vida das pessoas – especialmente das celebridades – tornou-se mais focada nas mídias sociais, e novas plataformas estão surgindo o tempo todo para permitir que as pessoas mantenham contato com seus seguidores”, explica Lev-On. “Espera-se que as celebridades sejam ativas em suas redes sociais mais do que nunca. Você não encontrará quase nenhuma pessoa famosa que não tenha pelo menos uma conta ativa alimentada diariamente. Nos últimos anos, tornou-se comum as celebridades expressarem suas opiniões nas redes sociais em tempos de crise. Como há mais simpatia pelos palestinos, faz sentido que isso se reflita nas redes sociais”.
“Além disso, há muitos, muitos mais árabes e muçulmanos no mundo do que judeus, e celebridades com pontos de vista pró-Israel podem hesitar em tornar sua opinião pública por receio de serem rotulados de extremistas. Infelizmente, as celebridades que são anti-Israel não têm nenhuma preocupação em tornar sua opinião conhecida publicamente”, diz ele.
Uma das estrelas que ganhou as manchetes após a recente escalada de violência foi a atriz de Hollywood Gal Gadot, que foi pressionada por seguidores israelenses para que tornasse público seu apoio a Israel. Ela finalmente saiu com a seguinte declaração: “Meu coração se parte. Meu país está em guerra. Eu me preocupo com minha família, meus amigos. Eu me preocupo com meu povo. Este é um ciclo vicioso que já dura há muito tempo. Israel merece viver como uma nação livre e segura. Nossos vizinhos merecem o mesmo. Rezo pelas vítimas e suas famílias. Rezo para que essa hostilidade inimaginável termine. Oro para que nossos líderes encontrem a solução para que possamos viver lado a lado em paz”. Leia mais.

Foto: Reuters