Eliana Assumpção

Claudio Lottenberg abre a 52ª Convenção anual da CONIB e destaca a pluralidade da comunidade judaica brasileira

O presidente da CONIB, Claudio Lottenberg, abriu na noite de terça-feira (23), no auditório da Unibes Cultural, a 52ª Convenção anual da instituição com o tema “Honrando o passado, Construindo o futuro” destacando o papel da organização na sociedade brasileira. “É uma comunidade plural na sua forma de ver a vida política neste país. A CONIB é um órgão de representatividade política, embora seja absolutamente apartidária. Porque é uma comunidade que no fundo tem um papel de interface com a sociedade brasileira, sendo um recorte dela. Nós temos judeus de esquerda, judeus de direita e judeus mais ou menos liberais. Portanto não existe uma identidade política da comunidade, mas um desejo verdadeiro de viver politicamente a vida da sociedade brasileira”, disse ele, ao agradecer a presença de autoridades, rabinos e de outras personalidades convidadas. Assista no canal da Conib no Youtube: https://www.youtube.com/watch?v=X3bERw0M96c

“Durante esses dois dias de convenção, teremos a oportunidade discutir temas que são pétreos para a nossa comunidade e que são inegociáveis, como as questões da banalização do Holocausto e do antissemitismo, que virou um assunto também extremamente sério nos tempos atuais. Temos as questões relacionadas ao Estado de Israel, que não pode em hipótese alguma ser deslegitimizado. Ainda mais agora que o papel da contribuição da ciência e do conhecimento depende de países que investem na área da ciência e do desenvolvimento E isso tudo vem casado com uma vida comunitária no Brasil que é absolutamente admirável. Aliás, a história dos judeus no Brasil remonta desde o descobrimento do país. Naquela época, da Inquisição, os judeus vieram para esse país e participaram da construção do Brasil, tanto é que a própria (historiadora) Anita Novisnky costumava dizer que um terço do sangue brasileiro tem origem dentro da história judaica. E essa construção, onde temos a diversidade e da qual participa a comunidade judaica, inclui outras minorias e neste encontro temos a obrigação de registrar a importância de um Brasil hospitaleiro, que recebe a todos, que integra, dá oportunidades e que sem dúvida alguma é o retrato de um país que tem muito a contribuir para um mundo um pouco mais integrado, mais pacificado e mais tolerante”, pontuou Lottenberg.

No segundo dia do evento, Claudio Lottenberg falou sobre “o momento especial para nós, enquanto comunidade judaica”, e o formato híbrido do encontro ”com a proposta de  transmitir uma unificação dos temas que nos são caros”. “Ontem, foi o momento de falar sobre as relações entre Brasil e Israel e não podemos permitir a deslegitimação do Estado de Israel que é a forma como alguns hoje expressam o seu antissemitismo”. “Ontem também falamos sobre a questão da banalização do Holocausto e hoje o tema é sobre tolerância zero em relação ao antissemitismo”. Lottenberg destacou a importância dos temas do encontro e, em especial, a participação de jovens. Isso é maravilhoso e contagiante para nós que temos a responsabilidade de transmitir valores judaicos – ‘Ledor vador’, de geração à geração’, que é uma natureza do judaísmo – e trabalhar pela continuidade”. “Temos um compromisso eterno com aqueles que nos legaram uma tradição, um passado e nos fizeram caminhar até aqui”, pontuou Lottenberg. Confira aqui: https://www.youtube.com/watch?v=W9NcSReqKlU