Em palestra na Convenção da Conib, a jornalista Bari Weiss fala sobre combate ao antissemitismo e política americana – Assista

A programação da 51ª Convenção da Conib aberta ao público contou, na noite de sábado (21), com um talk show com a jornalista norte-americana Bari Weiss e o ex-presidente da Conib, Fernando Lottenberg. Com seu estilo franco e aberto, Bari conquistou a audiência ao tratar de assuntos como a recente eleição americana, a ala à esquerda do Partido Democrata, a vitória de Biden, a questão do antissemitismo nos EUA e de como se sentiu com o ataque, há dois anos, à sinagoga Árvore da Vida, em Pittsburgh, que frequentava e o tema tratado em seu livro “Como combater o Antissemitismo”. “Se você me perguntar o que aconteceu durante os últimos dois anos, direi que eu fui acordando cada vez mais e percebendo que não há nenhuma lei de ferro que diga que os Estados Unidos devem continuar sendo a melhor diáspora judaica nem a democracia liberal,que nós sempre assumimos que seria”, disse Weiss.

Ela também falou sobre a sua saída do jornal New York Times, este ano, onde era editora de Opinião. Saída esta motivada, diz ela, pelo jornal não protegê-la do “bullying” constante dos colegas, por ela dar voz a opiniões divergentes da maioria de seus pares no jornal. “Nossa! Eu sai porque já não conseguia fazer o meu trabalho ali, e porque talvez eu tenha um parafuso solto,mas eu fui criada para me manter firme por determinados valores, e trabalhar ali estava se tornando mais do que um compromisso normal. Estava começando a trair os meus valores”, explicou ela. Weiss deixou ainda uma mensagem para a comunidade judaica brasileira: “Acho que o que mais podemos reivindicar neste momento, em que parece que vocês devem escolher, é que se podemos preservar a nossa espécie de DNA histórico, seremos ainda melhores. Para mim, sentir que sou uma pequena partezinha da história judaica, me deu muita força e muita clareza, sobre o que está bem em tempos de incerteza, que eu simplesmente desejo esse sentimento para todos”.