Conib fará projeção nas Torres do Congresso Nacional para marcar o Yom Hashoá (Dia do Holocausto) nesta segunda-feira, 20 de abril

Nesta segunda-feira, 20 de abril, das 19h30 às 23h30, as torres do Congresso Nacional serão iluminadas com a projeção das frases “Holocausto Nunca Mais – Solidariedade Salva Vidas”. O ato é uma ação da Confederação Israelita do Brasil (Conib) e conta com o apoio do Senado.

“O Holocausto foi um acontecimento terrível e único na história da humanidade. A memória do extermínio de 6 milhões de judeus é fundamental não só para dignificar as vítimas do nazismo, mas também para alertar a todos contra a intolerância. Neste momento de tanto sofrimento e tanta incerteza, é importante lembrar também como gestos de solidariedade naquele período salvaram vidas inocentes da morte certa”, disse o presidente da Conib, Fernando Lottenberg.

Judeus do mundo inteiro prestam tributo nesta segunda (20) à memória das vítimas e dos mártires do Holocausto durante o Yom Hashoá VehaGvurá (Dia do Holocausto e do Heroísmo). Neste momento em que a humanidade está vivendo a pandemia do Coronavírus, a mensagem de solidariedade também será destacada.

Esta iniciativa é um tributo à memória dos seis milhões de judeus exterminados pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, no episódio mais sombrio da história moderna. Lembra-se também o espírito de resistência dos que conseguiram se rebelar em cidades europeias ocupadas e em campos de concentração e extermínio. O episódio mais conhecido é o Levante do Gueto de Varsóvia, que se iniciou no dia 19/04/1943.

Além da perpetuação da memória, o que já seria justificado, esta data funciona como um alerta para toda a humanidade sobre o que foi a máquina de morte concebida pelos nazistas e as consequências na psique humana.

A Confederação Israelita do Brasil (Conib) tomou a iniciativa de procurar o Congresso Nacional, pelo terceiro ano consecutivo, para que fosse transmitida uma mensagem para a nação brasileira, por meio da iluminação de suas torres com mensagens alusivas à data. A lembrança do Holocausto pode ser uma poderosa ferramenta educativa para lidar contra a intolerância de todo o tipo, tão presente nos tempos atuais.

Combater o discurso de ódio é uma das primeiras ações e de fundamental importância. O que se inicia com uma narrativa ancorada em um discurso agressivo, preconceituoso e generalista, pode alcançar consequências imprevisíveis e por vezes letais.

A luta contra o antissemitismo faz parte da realidade atual. Há negacionistas e revisionistas, que distorcem a história, alegando que o Holocausto não existiu, ou que não foi exatamente o que está demonstrado pelos arquivos, filmes e biografias dos sobreviventes. Por esta razão, o povo judeu traz este alerta de forma permanente, não para se colocar como vítima, mas para alertar sobe o perigo da intolerância.

Nesta hora é importante lembrar do general Eisenhower, comandante das tropas aliadas, quando entrou em um campo de concentração recém-liberado, próximo à cidade de Gotha, na Alemanha, ficou estupefato pelas cenas inimagináveis de desumanidade e alertou sobre a necessidade fundamental do registro da tragédia, para que a memória fosse eternizada, e que ninguém no futuro negasse o que ali tinha ocorrido. Neste momento que a humanidade está vivendo a pandemia do Coronavírus, a mensagem de solidariedade fica ainda mais forte e necessária.

HOLOCAUSTO NUNCA MAIS
SOLIDARIEDADE SALVA VIDAS