CONIB rende homenagem a Celso Lafer pelos seus 80 anos, e à Anita Novinsky e José Meiches in memoriam 

A CONIB rendeu tributo, em sua convenção, ao  legado deixado pela da historiadora Anita Novinsky (1922-2021) e por José Meiches (1926-2021). Falecido em 18 de outubro, José Meiches foi lembrado pelo presidente da CONIB, Claudio Lottenberg. Meiches esteve à frente da CONIB por duas gestões, de 1979 a 1981 e de 1982 a 1984. Foi presidente também da Chevra Kadisha. Como ressaltou Lottenberg, durante a sua atuação, José Meiches soube dignificar o papel da comunidade judaica.

 

A homenagem à Anita Novinsky (1922-2021) foi feita pela Secretária de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo, Celia Parnes. “É uma honra poder fazer esta homenagem à historiadora, pesquisadora. Uma mulher à frente de seu tempo e de uma generosidade quando dividia seus conhecimentos sobre toda a história, toda a historiografia luso-brasileira e a nossa história, a história do povo judeu”, disse a secretária. Para Claudio Lottenberg, “Anita foi especial. Nós devemos, o Brasil deve, o redesenho da história da imigração brasileira”. A família de Novinsky estava presente no auditório da Unibes Cultural. A fiha, Sonia, falou sobre como sua mãe tentou ver as sementes do judaísmo no Brasil, pelo passado, pelo presente e pelo futuro.

 

Também foi Celia Parnes quem fez a homenagem a Celso Lafer, que completou 80 anos em agosto. Ela destacou a contribuição do advogado, jurista, professor, membro da Academia Brasileira de Letras e ex-ministro das Relações para a construção democrática de nosso país. Lottenberg ressaltou que Lafer é um dos maiores brilhos de intelectualidade não só da comunidade judaica, mas do país. Presente, junto com sua família, o professor agradeceu: “O reconhecimento é um prêmio, é uma dádiva, é algo que nos é dado pela generosidade dos outros, como esta homenagem. E, se além do reconhecimento, se soma o acolhimento, ele tem um significado todo especial. É este acolhimento que recebo nesta solenidade da CONIB”.