DECLARAÇÃO CONTRA O TERRORISMO

Esta declaração foi assinada por diversos parlamentares de diversos países, na ocasião da cerimônia pelos 27 anos do atentado à AMIA.

Em 18 de julho de 1994, um carro-bomba explodiu contra a sede da Associação Mutual Israelita Argentina – AMIA, matando 85 pessoas e deixando mais de 300 feridos. Não foi o primeiro ataque de terrorismo internacional na Argentina: dois anos antes, o alvo foi a Embaixada de Israel, onde 29 pessoas morreram. E 27 anos após o ataque à AMIA, os perpetradores de um dos maiores ataques terroristas da história da América Latina ainda estão foragidos. A Justiça argentina solicitou a extradição de cidadãos iranianos acusados ​​de responsabilidade pela organização, financiamento e execução deste atentado. Até agora, nenhuma resposta positiva foi obtida e o ataque permanece impune.

Reunidos pela Presidência da Câmara dos Deputados da República Argentina e pelo Congresso Judaico Latino-Americano, prestamos profunda homenagem às vítimas deste atentado terrorista e nos unimos ao pedido da Justiça, comprometendo-nos a trabalhar para que os responsáveis ​​sejam julgados. Acompanhando as famílias das vítimas e sobreviventes, DECLARAMOS:

A verdade e justiça são fundamentais para a construção de sociedades democráticas, pluralistas e progressistas. Sem Justiça que puna a destruição, o ódio e a morte, estamos expostos ao desprezo dos direitos humanos e à perda da Vida e da Liberdade. Fazer justiça não só repara os danos causados ​​no passado, mas também garante um futuro em liberdade.

Que a luta efetiva contra o terrorismo exige a colaboração ativa de cada Estado membro da comunidade internacional. Apoiar aqueles que planejam, financiam e executam ações terroristas constitui um ato de cumplicidade em violação ao direito internacional.

Que comprometemos nossos esforços para combater o terrorismo internacional, garantindo marcos jurídicos para proteger a vida dos cidadãos e salvaguardar os valores dos povos contra a ameaça de destruição, ódio e morte que as organizações terroristas semeiam. Com este mesmo espírito, rejeitamos também todas as formas de discriminação, racismo, xenofobia e antissemitismo.

Que prometemos fortalecer a Democracia e suas instituições para que não se repitam ataques como o que ocorreu contra a AMIA.

Esta Declaração, aprovada por parlamentares de vários países e expressões políticas, é uma amostra da união e da força dos países latino-americanos na luta contra o terrorismo.

Sergio Massa, Presidente da H. Cámara de Deputados da República Argentina

Jack Terpins, Presidente do Congresso Judaico Latino- Americano

Arthur Lira, Presidente da Câmara dos Deputados da República Federativa do Brasil

Claudio Lottenberg, Presidente da Confederação Israelita do Brasil

Dulce María Sauri Riancho, Presidente da Câmara de Deputados do Congresso Geral dos Estados Unidos Mexicanos

Marcos Shabot, Presidente do Comitê Central da Comunidade Judaica do México

Diego Paulsen Presidente da H. Cámara de Deputadas e Deputados da República do Chile.

Gerardo Gorodischer, Presidente da Comunidade Judaica do Chile

Pedro Alliana, Presidente da H. Câmara de Deputados da República do Paraguai

Jack Fleischman,m Presidente da Comunidade Judaica do Paraguai

Marcos Israel, Presidente do Comitê Central Israelita do Uruguai

Claudio Epelman, Diretor Executivo do Congresso Judaico Latino-Americano

Jorge Knoblovits, Presidente da DAIA

Ariel Eichbaum, Presidente da AMIA

Saúl Gilvich, Vice-presidente do Congresso Judaico Mundial

Alfredo Fratti, Presidente da Câmara de Representantes da República Oriental do Uruguai

Germán Blanco Alvarez, Presidente da Câmara de Representantes da República da Colombia

Jean-Claude Bessudo, Presidente da Confederação de Comunidades Judaicas da Colômbia

15 DE JULIO DE 2021