Em duas semanas, o segundo ministro do Bahrein chega a Israel para ampliar laços comerciais

A segunda delegação ministerial do Bahrein a ir a Israel em duas semanas desembarcou nesta terça-feira no aeroporto Ben Gurion com a missão de aprofundar os laços econômicos entre os dois países.

Durante sua estadia de três dias, o Ministro da Indústria, Comércio e Turismo do Bahrein, Zayed R. Alzayani, que chegou com uma delegação de cerca de 40 empresários, deve se encontrar com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e membros do gabinete israelense.

“A visita é muito significativa do nosso ponto de vista”, disse Eliav Benjamin, chefe do escritório mundial árabe no Ministério das Relações Exteriores de Israel. “É um exemplo do que nós e o que os Bahrainis queremos ver em nossas relações — progresso em nossa cooperação. Esta é a verdadeira normalização entre os nossos dois países: comércio, reuniões entre delegações, ministros e empresários”.

A visita de Alzayani ocorre apenas duas semanas depois que o ministro das Relações Exteriores do Bahrein, Abdullatif bin Rashid Al-Zayani, se tornou o primeiro-ministro do minúsculo reino do Golfo a visitar o Estado judeu.

O avião do ministro do Comércio da Gulf Air pousou na tarde de hoje no aeroporto Ben Gurion, onde foi recebido pelo ministro da Economia, Amir Peretz, pelo ministro da Cooperação Regional, Ofir Akunis, e pela ministra do Turismo, Orit Farkash-Hacohen. A delegação seguiu para Jerusalém para vários encontros com autoridades israelenses e empresários.

Na quarta-feira, Alzayani deve se encontrar com Netanyahu e o ministro das Relações Exteriores, Gabi Ashkenazi, e participar de uma exposição sobre tecnologia e inovação israelense que o Ministério das Relações Exteriores está organizando em sua homenagem em Jerusalém. Ele também deve assinar um acordo de turismo e possíveis acordos adicionais, embora ainda não tenham sido finalizados.

Na quinta-feira, o ministro do Bahrein deve visitar o Diamond Exchange em Ramat Gan e participar de um encontro de empresários israelenses e do Bahrein antes de voltar para Manama.

Tanto Netanyahu quanto Ashkenazi planejaram visitas separadas ao Bahrein no final desta semana, mas as adiaram a pedido do reino do Golfo.

A viagem de Netanyahu, que seria a primeira visita oficial de um premier israelense a um país do Golfo Árabe, acontecerá no final de dezembro, em vez de na próxima semana.

Netanyahu disse na manhã de hoje que havia falado ao telefone com o príncipe herdeiro e primeiro-ministro do Bahrein, Salman bin Hamad Al Khalifa, que o convidou para visitar a nação do Golfo, meses após os países concordarem em normalizar os laços. Netanyahu disse que em breve embarcará na viagem e seu escritório já começou a preparar a visita para esta semana.

No entanto, antes de a viagem ser finalizada, o Bahrein pediu a Netanyahu para adiar a visita até o final do próximo mês e torná-la parte de uma viagem mais ampla ao Golfo que inclui os Emirados Árabes Unidos, disseram autoridades israelenses a repórteres na semana passada.

O líder israelense também teria contatado Abu Dhabi sobre uma visita de Estado. Mas os Emirados Árabes Unidos disseram a Netanyahu que seu dia nacional, que cai em 2 de dezembro, tornaria a visita desta semana inconveniente, levando o líder israelense a prosseguir com planos de apenas visitar Bahrein, disseram as autoridades.

Uma nova data ainda não foi definida, mas a turnê provavelmente verá Netanyahu visitar os dois Estados do Golfo que estabeleceram relações diplomáticas com Israel em setembro.

A viagem planejada de Ashkenazi ao Bahrein em 3 de dezembro foi adiada por razões desconhecidas. Um porta-voz do ministro das Relações Exteriores disse que o protocolo diplomático do Bahrein afirma que um chefe de estado ou governo convidado pelo príncipe herdeiro deve visitar antes que outros membros do gabinete possam fazê-lo.

Ashkenazi havia sido escalado para participar da conferência de segurança IISS Manama Dialogue, de acordo com o ministério, e seria o israelense de mais alto escalão a visitar a pequena nação-ilha.