Em seu final, ciclo “Israel-Mundo” aborda em 28 de outubro relações Israel-Brasil e América Latina

No ano em que Israel completa 65 anos, a Confederação Israelita do Brasil e o Centro da Cultura Judaica, em São Paulo, promovem um ciclo com nove palestras intitulado “Israel e o Mundo”, que visa traçar um panorama abrangente das relações internacionais do Estado judeu.

Em 28 de outubro, às 20 horas, o ciclo se encerra com a palestra “Israel- Brasil e América Latina”, com Tullo Vigevani e Guilherme Casarões. Sinopse: será abordado o lugar ocupado por Israel na política externa brasileira e a maneira como tais relações repercutem sobre a liderança do Brasil na América Latina. Pretende-se discutir as quatro fases das relações: equidistância, que caracterizou os contatos iniciais e o desenvolvimento até a década de 1970; pragmatismo, comumente entendido como um alinhamento pró-árabe que se estendeu dos governos Geisel a Sarney; realismo, que envolveu o condicionamento das relações com Israel aos interesses dos Estados Unidos; e o novo pragmatismo, característico do governo Lula, em que se buscou a mediação da questão israelo-palestina, com importantes impactos em nossa região.

Tullo Vigevani possui graduação em Ciência Política pela Università degli Studi Roma Ter, mestrado em Ciências Sociais pela PUC-SP e doutorado em Historia Social pela USP. Atualmente é professor titular de Ciência Política da UNESP e pesquisador do Centro de Estudos de Cultura Contemporânea. Atua na área de Ciência Política, com ênfase em Relações Internacionais, e tem como principais temas de pesquisa Mercosul, Política Exterior do Brasil, Integração Regional, Globalização, Relações Internacionais, Brasil e Regimes Internacionais.

Guilherme Casarões possui graduação em Relações Internacionais pela PUC-MG, mestrado em Ciência Política, pela USP, e em Relações Internacionais, pela Unicamp. É doutorando em Ciência Política, pela USP. Atualmente, é professor de Relações Internacionais das Faculdades Integradas Rio Branco e da Fundação Getúlio Vargas. Tem artigos publicados na área de Ciência Política e Relações Internacionais, com ênfase em Política Externa Brasileira, Relações Brasil-Oriente Médio e Teoria das Relações Internacionais.

Na abertura, em 2 de setembro, Bernardo Sorj falou sobre “Israel e o Mundo: 65 Anos de Diplomacia e Conflito”. Em 9 de setembro, Peter Demant falou sobre as relações Israel-Europa. No dia 16, Jaime Spitzcovsky abordou as relações Israel-Ásia. Em 23 de setembro, Heni Cukier analisou as implicações de um Irã nuclear. Em 30 de setembro, Samuel Feldberg tratou das relações entre Israel e EUA. Em 7 de outubro, Michel Gherman esmiuçou os problemas de israelenses e palestinos. Em 14 de outubro, Omar Thomaz abordou as relações entre Israel e a África. Em 21 de outubro, Gustavo Chacra fez um voo panorâmico sobre as relações de Israel com o Mundo Árabe.

A curadoria do evento é do cientista social Daniel Douek.

O preço da palestra é R$ 65,00. Idade mínima: 18 anos.

A data é 28 de outubro, segunda-feira. Horário: das 20h às 22h. Informações, no Centro da Cultura Judaica: secretaria@culturajudaica.org.br ou secretaria1@culturajudaica.org.br. Telefone: (11) 3065-4349/4337.


Capoeira em frente ao Teatro Habima, em Tel Aviv. Foto: Dan Bar Dov.